Bruno Feijó toma posse como professor titular
27/06/2019 18:14
Juan Pablo Rey

Docente da PUC-Rio há 31 anos, o engenheiro colaborou para o desenvolvimento da área de informática na Universidade

O professor Bruno Feijó proferiu aula magistral. Foto: Amanda Dutra

O professor Bruno Feijó, do Departamento de Informática, tomou posse como professor titular da PUC-Rio em Aula Magistral realizada na terça-feira, 25. A cerimônia ocorreu no auditório do IAG, com a presença do Reitor, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., e do Vice-Reitor Acadêmico, professor José Ricardo Bergmann.

Bruno Feijó se formou em Engenharia Aeronáutica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1975, se tornou mestre em Engenharia Civil pela PUC-Rio, em 1980, e doutor, em 1988, pela University of London. É professor da Universidade desde 1988 e, atualmente, é considerado um dos principais criadores na área de games do país.

O Reitor, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., abriu o encontro e citou a alegria de ter um profissional como Feijó que passa a ocupar a 35º cadeira de professor titular em atividade na PUC-Rio, o sétimo do Departamento de Informática. O Vice-Reitor Acadêmico, fez a leitura do parecer homologado pela Comissão Central de Carreira Docente, que frisou o vasto currículo do professor, aprovando unanimemente sua promoção.

Padre Josafá e José Ricardo Bergmann participaram do encontro. Foto: Amanda Dutra

Durante a aula, Feijó destacou a importância do storytelling, ou narrativa, não apenas no campo digital, mas em todos os aspectos da vida. Ele citou como exemplo o CEO da Amazon, Jeff Bezos, que proibiu a apresentação de PowerPoints nas reuniões executivas da empresa, para valorizar a boa narrativa como um aspecto fundamental para o sucesso.

- Os humanos adoram e precisam de histórias. Ouvir, assistir, falar, contar, participar por meio de games e do cinema. Quando não estamos nos metendo na história dos outros, estamos girando dentro da nossa própria. Estamos sonhando com nosso passado, presente e futuro, fabricamos histórias quando vamos dormir. O storytelling está enraizado na natureza do mundo. Recomendo descobrir os processos, estruturar suas análises com uma história. Quando você tem dados, narrativas e o aspecto visual, todos juntos, você passa realmente a influenciar e provocar mudanças.

O professor também deu ênfase ao jogo Bomb Z, um dos principais projetos do ICAD/VisionLab, laboratório criado e comandado por Feijó. O game, desenvolvido para o sistema operacional iOS, da Apple, ficou entre os 100 aplicativos mais baixados no mundo, o que fez um investidor estrangeiro adquirir o jogo e contratar alguns dos alunos desenvolvedores do projeto. Feijó qualificou como uma “perda feliz” a contratação de parte dessa equipe. O professor agradeceu os presentes e definiu a PUC-Rio como “única”.

- A PUC significa tudo para mim, é muito especial. Eu não faria metade disso tudo se não fosse o ambiente que a Universidade representa. A decisão que tomei há muitas décadas atrás entre ser um professor do Imperial College, em Londres, ou vir para cá, nunca me deixou arrependido. É uma Universidade modelo não só no país, mas internacionalmente também. Esse dia significa o topo do que imaginamos de reconhecimento e possibilidade de continuar atuando. É um momento único para mim.

Bruno Feijó é um dos pioneiros no Brasil nas áreas interdisciplinares de computer-aided design (CAD), animação, efeitos visuais (VFX), entretenimento digital e jogos. Ele também é um dos principais responsáveis pelo reconhecimento e disseminação do ensino e da pesquisa de jogos no Brasil e incrementou clusters, políticas de inovação, profissionais e startups na área. Ele foi um dos fundadores do SBGames e da CE de Jogos e Entretenimento Digital da SBC. Na educação, tem contribuído para inovação tecnológica em multimídia, programação e jogos, além de integrar o ensino médio público com programas de pós-graduação.

Mais Recentes
Projeto para pessoas com deficiência auditiva vence Desafio
Parceria entre Departamento de Comunicação Social, Comunicar e Ecoa PUC-Rio premia melhores ideias de inovações em jornalismo
Cineasta dos sonhos interrompidos
O cineasta e professor Silvio Tendler, do Departamento de Comunicação Social, recebe homenagem pelos 51 anos do primeiro filme, A Revolta da Chibata. Até sexta-feira, haverá exibições de obras do documentarista, seguidas de debates.   
O futuro do meio ambiente
Simpósio debate dificuldades para o reflorestamento e a importância da participação da sociedade nesse processo