Olhar acadêmico transformador
19/12/2019 19:24
Clara Martins

Livro digital explora a importância do empreendedorismo social e as pesquisas apresentadas por alunos da Universidade na Colômbia

A professora Ruth Espínola inicia o encontro sobre o lançamento do livro digital Universidade como agente de inovação social e o caso Students 4 Change. Foto: Amanda Dutra

Produzido por alunos e professores da PUC-Rio, o livro digital Universidade como agente de inovação social e o caso Students 4 Change foi lançado no dia 4 de dezembro. A obra aborda o olhar do empreendedorismo social projetado e desenvolvido na PUC-Rio e os estudos de caso sobre negócios sociais apresentados por alunos da instituição na Colômbia, em novembro. O livro digital está disponível no formato on-line: bit.ly/2qJPeFF

Para o diretor do Departamento de Administração, professor Leonardo Lima, a obra é importante para o meio acadêmico, porque apresenta como temática uma educação relacionada à responsabilidade social. De acordo com ele, não é mais possível deixar de lado a discussão sobre finanças sustentáveis, porque o mercado financeiro, cada vez mais, cede às pressões socioambientais em busca de projetos de inovação social.

O professor Leonardo Lima aborda a importância dos negócios sociais para o mercado externo.

Segundo o professor, à medida que a nova geração demanda a urgência de investimento para melhoria em escala global, as diretrizes governamentais começam a direcionar os esforços para o impacto socioambiental, assim como o capital percebe a importância de aplicar nessas propostas. Mas ele ressaltou que somente o recurso financeiro não promove a transformação, é necessária a oferta de projetos que produzam impacto social. Ele apontou que, como educador, um dos objetivos é transmitir aos alunos a importância da preocupação com a realidade externa e projetar negócios sociais para o mercado.

– Todos temos aqui algo que nos une, que é fazer o bem, gerar impacto socioambiental. Mas vocês já pensaram que vocês podem trabalhar com negócio de impacto? Sobreviverem disso?

A professora Angela Paiva, do Departamento de Ciências Sociais, participou do projeto no primeiro ano, de 2016 a 2017, e contou que a multidisciplinaridade foi essencial para cumprir a missão da atividade de extensão na Universidade. De acordo com ela, a produção do eBook foi importante no traçado da extensão, porque mobilizou diversos alunos e docentes para o desenvolvimento dos capítulos, por meio do diálogo e compartilhamento de conhecimentos sobre os negócios sociais pesquisados por cada um.

A professora Angela Paiva comenta a importância do projeto para a extensão da Universidade.

Para o professor Cláudio Jacinto da Silva, do Departamento de Teologia, a prática de extensão disciplinar nos processos educacionais é importante, pois insere os estudantes em programas sociais. Ele observou a necessidade de os projetos produzidos na Universidade exercerem um impacto social significativo na vida cotidiana, e deu como exemplo a mudança feita na apresentação de conteúdo de ensino religioso aos alunos. Com o objetivo de inserir ações sociais nos trabalhos produzidos em salas de aula, o professor reformulou a forma de transmitir o conteúdo acadêmico.

– É uma nova visão da cultura religiosa que deve ser desafiada a mostrar que o ponto de partida converge com uma formação universitária preocupada com a mudança social. Criamos um programa que relacionasse a cultura religiosa com a ação transformadora, no qual os professores de teologia pudessem fazer uma operação acadêmica voltada para projetos sociais.

Em abril deste ano, os estudantes Edson Henriques e Marina Mahfuz foram dois dos quatro alunos selecionados para representar a Universidade no encontro promovido pelo projeto Students 4 Change, do programa Erasmus Plus, na Colômbia. A pesquisa e os estudos de caso apresentados pelos universitários em Bogotá foram temas de um capítulo do eBook. Estudante de psicologia, Henriques definiu a experiência de poder vivenciar, na prática, projetos sociais de diversas faculdades como algo “incrível”, porque pôde perceber como os diferentes lugares do mundo passam pelas mesmas necessidades do Brasil, sobretudo, socioambientais.

– Como aluno da Universidade, poder trocar experiências com diversas pessoas da América Latina foi muito enriquecedor. Conhecemos e convivemos com faculdades diferentes, e eu vi que outros países da América Latina também sofrem problemas parecidos com o do Brasil.

Marina, que é estudante de Comunicação Social, explicou que o embrião do projeto social surgiu a partir de uma responsabilidade socioambiental para auxiliar a criação de novos negócios sociais dentro da PUC-Rio e inserir pautas sociais na discussão universitária. Segundo ela, o projeto foi capaz de englobar diferentes olhares sobre empreendedorismo, porque ele foi desenvolvido por alunos e professores de diversas áreas acadêmicas.

– A experiência na Colômbia fez com que a gente voltasse para a Universidade com a necessidade de fazer algo para mudar a realidade. A gente quis engajar e potencializar, cada vez mais, alunos na causa social.

Os alunos Edson Henriques e Marina Mahfuz contam a experiência na Colômbia. Foto: Amanda Dutra

O lançamento do livro teve a presença do Vice-Reitor Comunitário, professor Augusto Sampaio, dos professores do Departamento de Administração Leonardo Lima e Ruth Espínola, da professora Angela Paiva, do Departamento de Ciências Sociais, dos estudantes da PUC-Rio Marina Mahfuz e Edson Henriques, da doutoranda Mariana Brunelli, do Departamento de Administração, do professor Claudio Jacinto da Silva, do Departamento de Teologia, da assistente social Andrea Oliveira, da Vice-Reitoria Comunitária, e da professora Nilza Rogéria, do Departamento de Serviço Social.

Mais Recentes
Um ano de incertezas e solidariedade
Reitor faz balanço deste ano e projeções para 2020
Novos representantes dos alunos na Universidade
DCE e Centros Acadêmicos da PUC-Rio tomam posse em reunião na Sala do Conselho