Recompensa pela trajetória
15/06/2022 16:08
Giulia Matos

Professores são homenageados como o título de Professor Emérito pela PUC-Rio.

Decano Sidnei Paciornik, Professor Fernando Lázaro, Reitor padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., e o Vice-Reitor Acadêmico José Ricardo Bergmann. / Foto: Jorge Paulo Araujo

A emoção marcou a cerimônia de entrega do título de Professor Emérito e da medalha Cardeal Leme durante a sessão presencial do Conselho Departamental do Centro Técnico Científico (CTC), no dia 13 de junho, no RDC. O professor Fernando Lázaro Freire Júnior, do Departamento de Física, e o ex-Vice-Reitor Administrativo Luiz Carlos Scavarda do Carmo, que morreu em agosto de 2021, foram os homenageados. A família de Scavarda participou da solenidade e recebeu o título de Professor Emérito Post-Mortem conferido ao professor. O título de Professor Emérito é uma honraria dada pela Universidade a um integrante do corpo docente que tenha se destacado por contribuir com pesquisas, dedicação ao ensino e à instituição ao longo da carreira.

Fernando Lázaro Freire Júnior é bacharel, mestre e doutor em física pela PUC-Rio, Professor Titular do Departamento de Física e membro titular da Academia Brasileira de Ciências (ABC). A participação no quadro de integrantes do conselho da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) e a coordenação na área de física e astronomia da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), são, também, alguns dos feitos que compõem o currículo do docente.

O Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos, José Ricardo Bergmann, relembrou outros cargos ocupados por Lázaro, como o de diretor do Departamento de Física por dois mandatos, coordenador da pós-graduação, integrante da comissão central de carreira docente e da comissão de avaliação pessoal docente do departamento. Ele destacou como o educador sempre se dedicou ao ensino e à busca por conhecimento, e enfatizou a qualidade do trabalho do físico ao longo dos anos.

- Ele se dedicou de maneira ímpar e integral ao Departamento de Física da Universidade. Participou de atividades administrativas, pesquisas e da formação de Recursos Humanos. Com base na excepcional trajetória acadêmica do professor Lázaro, a comissão central de carreira docente é favorável à concessão do título de emérito. Por muitas vezes participamos de reuniões da comissão e pude testemunhar a qualidade crítica e a visão acadêmica profunda, além do grande senso de humor que ele tem – assinalou Bergmann.

Reitor, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J. / Foto: Jorge Paulo Araujo

O Reitor, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., expressou o quão significativo é oferecer a medalha e o título ao professor, e afirmou que a instituição sente orgulho de ter profissionais tão dedicados. Ele relembrou a entrada de Lázaro no corpo docente em 1985 e ressaltou a capacidade que o educador tem de refletir e indagar. 

-  O Professor Emérito é aquele que possui um lugar especial na Universidade, que fica na instituição de maneira diferenciada, que é referência dentro de determinado campo. Temos que agradecer a possibilidade de convivência com pessoas que dão orgulho à casa, que dão a vida pela PUC-Rio. O professor Lázaro é muito competente na área em que atua e temos que mencionar a firmeza em relação à argumentação, à habilidade em questionar, em apresentar, sempre com muita sabedoria.

O Decano do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC), professor Sidnei Paciornik, parabenizou o físico e comentou sobre como ele contribuiu para a composição e formação de uma estrutura de qualidade do Departamento de Física e para toda a Universidade, com pesquisas, estudos, laboratórios, entre outros.

- Além do que já foi relatado, eu gostaria de falar sobre uma questão muito necessária, que é a construção da infraestrutura do ponto de vista técnico. O Lázaro contribuiu para o Departamento de Física, para a instituição, com um projeto forte. Este tipo de legado vai além da vida institucional das pessoas, ele servirá ao que cerne no futuro. Então, este título deixa uma marca concreta do professor.

 

Professor Emérito, Fernando Lázaro Freire Júnior. / Foto: Jorge Paulo Araujo

Entre lágrimas, o professor Lázaro agradeceu a honraria e afirmou que isto representa um grande significado após 37 anos de carreira docente no campus Gávea. O professor comentou que estava muito tocado com a homenagem do e não tinha palavras para expressar o que sentia naquele momento.

- Estou bastante emocionado. Me envolvi com o movimento estudantil na época que entrei como aluno, depois tive todo o caminho como professor. Minha vida sempre foi muito próxima, ligada à Universidade. Ter essa contribuição reconhecida é muito importante.

Amor pela família, amor pela PUC-Rio

Professor Emérito, Luiz Carlos Scavarda. / Foto: Gabriela Doria

O professor Luiz Carlos Scavarda era engenheiro em Telecomunicações, mestre e doutor em física, graduado pela PUC-Rio. Ele possuía um vínculo institucional de 58 anos com a Universidade, desde 1963, quando entrou como estudante. Mais tarde, ocupou cargos como o de Professor Titular, Decano do CTC da PUC-Rio e de Vice-Reitor Administrativo. Entre as diversas formações e ocupações marcantes na carreira, pode-se destacar o pós-doutorado em física pela Universidade de Utah, nos Estados Unidos, e a atuação como membro da Academia Pan-Americana de Engenharia e como integrante da Academia Nacional de Engenharia (ANE Brasil).

Vice-Reitor para Assuntos Acadêmicos, José Ricardo Bergmann. / Foto: Jorge Paulo Araujo

O Vice-Reitor Acadêmico recordou a participação do engenheiro no setor do empreendedorismo da Universidade, na criação de uma disciplina voltada para a área, e no lançamento da Empresa Júnior, que depois culminou no surgimento do Instituto Gênesis. Ele comentou que uma característica admirável do professor Luiz Carlos Scavarda era a procura pela comunicação entre departamentos, ao mesmo tempo em que procurava reconhecer as particularidades de cada setor.

- Ao ocupar a Vice-Reitoria Administrativa, Scavarda implementou a orçamentação por unidade, em um esforço para a criação de uma lógica de precificação e distribuição mais igualitárias dos recursos possibilitados entre as distintas unidades presentes na Universidade. Ele compreendia a diversidade dos departamentos e candidatos, e a função de uma instituição com fins públicos em uma gestão privada. Scavarda promoveu um forte profícuo diálogo entre os centros da cultura, além de incentivar parcerias externas para contribuir com pesquisas e estudos.

Segundo o Reitor, o professor Scavarda conseguia compreender a PUC-Rio em detalhes, e possuía uma fidelidade extraordinária à instituição e àqueles que o conheciam. Ele apontou como o doutor em física conseguia exercer a cultura do pertencimento, da excelência e da sensibilidade social, tão valorizadas pela Universidade, e recordou o momento em que percebeu que poderia haver uma relação entre o ensino superior com as instituições escolares.

- Um aspecto que me impressionava muito era como ele tinha presente pontos que destacamos na instituição, que são fortes, como a cultura do pertencimento e da sensibilidade social. Lembro de ele direcionar investimentos, o que fosse possível, para campanhas sociais, de inclusão. Um exemplo de quando isso ficou claro, foi no momento em que ele percebeu que deveríamos integrar a Universidade com as escolas, afinal, parte dos estudantes entra no ensino superior depois. Essa integração é muito importante.

Decano do CTC, Sidnei Paciornik. / Foto: Jorge Paulo Araujo

Paciornik mencionou que foi aluno do professor Scavarda desde a iniciação científica até o período final do doutorado, e o quão simbólico é poder celebrar a carreira do antigo Vice-Reitor Administrativo. O Decano do CTC citou o início da convivência com o engenheiro, ao destacar a excelência acadêmica, e ressaltou a inteligência, a instrução, o bom humor e a cultura do mestre.

- Ele foi meu professor por um largo espaço de tempo, conheci a família, os filhos de perto. Fizemos uma trajetória como amigos. Tivemos uma primeira convivência acadêmica, na qual ele me ensinou a ter mais independência como pesquisador, que me ajudou a mesclar a teoria com as aplicações práticas. Era de uma competência técnica, além de funcionar como aula da vida. Importante destacar que ele era uma pessoa de cultura espantosa, vasta, poliglota, que apreciava a música. Foi um privilégio conviver com ele.

Para a entrega da honraria, foram chamados os filhos e a neta, do professor Luiz Carlos Scavarda. Diretor do Departamento de Engenharia Industrial, o professor Luiz Felipe Scavarda, que é filho de Scavarda, afirmou que durante a cerimônia era possível encontrar dois pilares importantes na vida do pai: a instituição e os familiares.

- Gostaria de agradecer e de dizer que aqui conseguimos encontrar duas grandes paixões do meu pai, a PUC-Rio e a família. Ele falava muito, nestes últimos anos, da vontade de se tornar Professor Emérito, mas não sabia como encaminhar isto. Queria aproveitar e expressar minha gratidão pelo trabalho, pela homenagem realizada. Acho que isto corresponderia ao desejo dele e tenho certeza de que ele estaria extremamente feliz.

Diretor do Departamento de Engenharia Industrial, o professor Luiz Felipe Scavarda. / Foto: Jorge Paulo Araujo

A neta do professor, Ana Teresa, fez um breve discurso de agradecimento em nome da família. Ela declarou que, ao falar sobre o avô, é inevitável mencionar também a avó, Anita, e relembrou que acreditava, quando pequena, que eles viviam na Universidade, pois passavam muito tempo no campus. Ana enfatizou como Scavarda tinha valores fortes, era persistente, e como valorizava a vida, além de se dedicar a projetos no qual enxergava potencial, como a Universidade.

- É uma consequência dessa união forte, todas as conquistas que meu avô teve, também podem ser consideradas da minha avó. Ele alcançou toda esta trajetória devido à pessoa que era. Uma das coisas mais importantes que formam uma pessoa são os valores, e Luiz Carlos tinha valores fortíssimos. Talvez, o que mais se destaque, também, seja a apreciação pela vida. Ele investiu em tudo que amava, nos estudos, na família, sempre em coisas que acreditava, como a PUC-Rio, na qual dedicou mais de 50 anos de vida. 

Família Scavarda: Ana Teresa, Luiz Felipe, Ana Carla, Annibal José e Luiz Antônio. / Foto: Jorge Paulo Araujo

No final da homenagem ao professor Scavarda houve o pedido para que todos ficassem de pé no auditório e realizassem um minuto de silêncio. A cerimônia foi encerrada após uma sessão de aplausos para parabenizar os dois professores eméritos.

Mais Recentes
Sagrado Coração no centro da Universidade
Missa do Sagrado Coração de Jesus é celebrada pelo novo reitor da igreja da PUC-Rio, padre Arnaldo Rodrigues
Silêncio e escuta
Centro Loyola abre as portas no último sábado do mês para momentos de espiritualidade
Projeto Endowment: transparência e segurança
Na primeira reunião presencial do Fundo Patrimonial da PUC-Rio, conselheiros discutem sobre futuras metas e programas de captação de recurso