Professor Danilo Marcondes lança livro sobre filosofia da linguagem
10/03/2017 17:06
Camila Gouvea

Em As armadilhas da linguagem, professor do Departamento de Filosofia observa fenômenos da interação linguística, passando pelos principais debates da filosofia da linguagem em torno da análise do discurso, e propõe as bases para um método de aproximação de palavras de uso teórico para o uso cotidiano.

O professor Danilo Marcondes. Foto de Isabela Campos

O professor Danilo Marcondes, do Departamento de Filosofia, lança As armadilhas da linguagem (Ed. Zahar). Buscando observar fenômenos da interação linguística, em que nem sempre as expectativas do falante coincidem com a compreensão do ouvinte – declarações tidas como inocentes que ofendem o interlocutor, ou instruções entendidas de forma diferente do pretendido por quem as deu –, Marcondes passa pelos principais debates da filosofia da linguagem em torno da análise do discurso. E propõe as bases para um método de aproximação de palavras de uso teórico para o uso cotidiano, articulando a concepção de jogos de linguagem de Ludwig Wittgenstein com a Teoria dos Atos de Fala de John L. Austin. No livro, o método é aplicado a situações de interação apresentadas nas crônicas A aliança, de Luis Fernando Verissimo, e Psicopata ao volante, de Fernando Sabino.

Professor há mais de 30 anos no Departamento de Filosofia da PUC-Rio, e também do Departamento de Filosofia da UFF, Danilo é doutor em Filosofia pela Universidade de St. Andrews. Entre as obras publicadas estão Textos básicos de filosofia; Dicionário básico de filosofia (com Hilton Japiassú); Iniciação à história da filosofia; Textos básicos de ética; e Textos básicos de linguagem, todos publicados pela Zahar. Escreveu ainda Language and action: A reassessment of speech act theory (Londres, John Benjamins, 1984).

Mais Recentes
Um fotojornalista em constante reinvenção profissional
Colaborador do jornal O Dia e formado no curso Cinema, Criação e Pensamento da PUC-Rio, Sandro Vox fala do documentário que está prestes a lançar e de ensaio fotográfico sobre lazer em favelas, realidade que conhece por experiência própria.
Escritor da Rocinha destaca acento comunitário das novas mídias
Em palestra na PUC-Rio, o também colunista do Jornal do Brasil ressalta a prestação de serviço impulsionada pelo avanço de informações descentralizadas, principalmente para dar visibilidade a denúncias e produções culturais da comunidade.
Ricardo Lísias fala sobre 'Diário da cadeia'
No encontro Resenha de Bolso, o escritor fala sobre o livro que escreveu sob o pseudônimo de Eduardo Cunha e lamenta a postura do Judiciário em relação à produção artística no país.