Bodas de prata da CCCI
07/12/2017 18:31
Natália Oliveira

Os 25 anos da Coordenação Central de Cooperação Internacional (CCCI) foram celebrados na quarta-feria, 6, no Salão da Pastoral 

Professores Ângela Paiva, Danilo Marcondes, Vice-Reitor José Ricardo Bergmann e Padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J.. Foto: Beatriz Meireles

A Coordenação Central de Cooperação Internacional (CCCI) completou 25 anos na Universidade. Com mais de 300 convênios com faculdades de todos os continentes, a unidade da PUC-Rio tem como meta expandir o número de alunos da PUC no exterior e reforçar a internacionalização nos próximos anos. Atualmente a CCCI ainda mantêm 8% de intercambistas no corpo estudantil. A celebração ocorreu nesta quarta-feira, 7, no Salão da Pastoral.  

A CCCI trabalha com uma equipe composta por 16 pessoas, cujo papel é realizar o projeto de internacionalização da Universidade. O Coordenador Central de Internacionalização, professor Danilo Marcondes, do Departamento de Filosofia, é o responsável por esta função e afirma que 8% do alunato da Universidade são intercambistas. Com as bodas de prata, ele diz que dar mais oportunidade aos estudantes e ampliar os cursos de curta-duração são os principais objetivos para os próximos anos.

– Queremos dar mais oportunidade para os alunos da Universidade, por meio ou não de bolsas de estudo. Além disso, devemos aumentar o número de duplo diplomas e de estágios no exterior, uma vez que eles ajudam na profissionalização – diz.

Segundo a coordenadora do CCCI, Ângela Paiva, houve uma queda na procura pelos intercâmbistas, sobretudo os americanos, nos últimos anos por causa de alguns problemas enfrentados pelo país e, especialmente, pelo Rio de Janeiro. A professora, do Departamento de Ciências Sociais, afirma que uma das causas é a série de reportagens sobre zika, chikungunya e tiroteio em comunidades cariocas. Por conta dessas questões, ela diz que a PUC-Rio dá todo suporte para o aluno que vem do exterior.

– Não recomendamos que eles morem em comunidade, temos um documento que eles assinam para que não morem em áreas de risco. Se eles quiserem, a Universidade não se responsabiliza – afirma.

Professora Ângela Paiva. Foto: Beatriz Meireles

Outra forma de dar segurança é o projeto Brother Carioca. Alunos da PUC-Rio  que participaram de algum programa de intercâmbio para fora do Brasil organizam passeios e fornecem informações para os intercambistas que chegam aqui.   

- É uma troca incessante de conhecimento tanto para o intercambista quanto para o aluno, porque eles trocam experiências e têm contato com outras culturas – explica  

O Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., destacou que, em 25 anos, a CCCI não perdeu a essência de crescer. Ele comentou que sente orgulho de falar sobre a unidade quando faz viagens para o exterior.

- Temos que agradecer a equipe pelo excelente trabalho e aos professores Danilo Marcondes e Ângela Paiva pelo crescimento da CCCI. Aqui na PUC, só há espaço para quem voa alto, e a Central de Cooperação Internacional fez esse papel durante os 25 anos – diz.

A CCCI promove intercâmbio acadêmico, cursos de curta duração e customizados. Além disso, promove parcerias acadêmicas de caráter interdisciplinar, estágios acadêmicos e encontros nacionais e internacionais. A celebração contou com a presença de ex-alunos intercambistas e de parceiros de projeto para ampliar a internacionalização da Universidade.

Mais Recentes
Aula Magna do Departamento de Economia
As diferentes propostas na abordagem de fatos da economia mundial foram apresentadas durante o encontro
O caminho dos livros
Para facilitar a jornada dos calouros na Universidade, O Jornal da PUC criou um guia para apresentar a biblioteca: um ambiente onde você passará grande parte da vida acadêmica. Aqui estão todas as dicas necessárias para utilizar o espaço.
Nova direção na Teologia
Professor desde 2013, padre Waldecir Gonzaga tomou posse em cerimônia marcada por comemorações e festividade