Espírito natalino toma conta da PUC-Rio
12/12/2017 12:27
Eduardo Diniz

Projeto Natividades, que ocorre nos pilotis da Ala Kennedy, busca resgatar o verdadeiro significado do Natal

Começou na segunda-feira, 11, o projeto Natividades Arte e Cultura, que ocorrerá até a sexta-feira, 15, com atrações nos pilotis da Ala Kennedy e a exposição de presépios de diversas partes do mundo no hall do edifício do Departamento de Artes & Design. A iniciativa foi organizada por um grupo de professores de diferentes departamentos e busca resgatar a real representação do Natal. A abertura contou com a presença do padre Paul Schweitzer, S.J., e do Coral da PUC, que cantou músicas natalinas.

Padre Paul ressaltou que o encontro quer resgatar o nascimento de Jesus, que é o sentido principal do Natal. Segundo o padre, a sociedade enfrenta enormes dificuldades de desvios de conduta, e o problema é a falta de colocar em prática os valores que Jesus ensina pelas suas palavras. Por isso, o Natividades visa recuperar o significado real da data e da bondade dos ensinamentos do filho de Deus.

— O menino Jesus tem que nascer novamente no coração de cada um de nós nessa data. O nascimento dele vem com os princípios de ensinamentos que servem para o bem comum e que criam uma unidade, fraternidade, a amizade profunda e a procura do bem para as pessoas.

Padre Paul Schweitzer, S.J., na abertura do projeto Foto: Isabella Lacerda

A professora do Departamento de Letras Maria de Loudes Sette, uma das organizadoras do programa, relembrou que o verdadeiro espírito natalino é a fraternidade entre as pessoas. Lourdes alerta que o Natal hoje em dia é lembrado apenas pelo consumismo, e as pessoas esquecem que a data não é só para comprar os presentes mais caros. Ela afirma que o Natividades pretende mudar essa visão e levar a uma reflexão a partir da voz e do pensamento de diversas pessoas que palestram durante a semana.

Lourdes destaca ainda que, a partir do momento em que as pessoas se consideram filho de um mesmo pai, elas tratam o outro da maneira em que gostariam de ser tratadas. Ela relembra, contudo, que o ser humano é frágil, pecador, mas que isso não impede dele de tentar chegar o mais perto possível do ser divino que Jesus é.

— A ideia é trazer o que a gente faz na nossa vida acadêmica, a reflexão dos valores cristãos e a divulgação deles. O Natal é o nascimento de Jesus, um homem divino que veio nos dizer como a gente pode ser divino também, em alguma medida. Devemos pensar o tempo inteiro como podemos ser o mais semelhante possível de Jesus. O Natal é, sobretudo, o amor ao próximo como a nós todos.

O Coral da PUC se apresentou nos pilotis com músicas natalinas em diversas línguas, como alemão e latim. Para Lourdes, a presença do coral na cerimônia é importante, pois traz a alegria que é necessária para a comemoração do aniversário de uma pessoa tão significativa.

— A música e a arte tem tudo a ver com Deus pois são manifestações divinas. O Coral da PUC é lindo. Traz a música com a alegria que é necessária nessa data tão importante porque, afinal, o Natal é um aniversário, e é preciso comemorar. ­­

As palestram ocorrem sempre às 12h nos pilotis da Ala Kennedy. Nesta terça-feira, o teólogo Alessandro Rocha ministrará o encontro. Na quarta-feira, o palestrante será o Padre Fernandes, e na quinta-feira a sequência de debates será encerrada pela professora Tereza Cavalcanti. O varal com poesias natalinas também está em exposição nos pilotis da Ala Kennedy.

Exposição Natividades

Mais Recentes
Assembleia Universitária
Em sessão de final de ano, o Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J, apresentou o balanço da Universidade e das atividades acadêmicas realizadas em 2017
Novas oportunidades na representação estudantil
Os representantes eleitos para os Centros Acadêmicos e para o DCE Raul Amaro tomaram posse nessa terça-feira, 20.
Rotina que concilia treinos e orçamentos
O gerente de orçamento e projetos da PUC-Rio, Antonio Ferreira de Oliveira, se divide entre o ciclismo e a Universidade