Assembleia Universitária
21/12/2017 18:29
Fernanda Cubel, Karen Krieger e Marcelo Antonio Ferreira

Em sessão de final de ano, o Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J, apresentou o balanço da Universidade e das atividades acadêmicas realizadas em 2017

No auditório do RDC, o Reitor da PUC proferiu a Assembleia Universitária. Foto: Matheus Aguiar

Na quinta-feira, 21, o Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., reuniu o corpo docente e o Conselho de Desenvolvimento da PUC-Rio para a sessão solene da Assembleia Universitária, no auditório do RDC. O objetivo do encontro é apresentar um balanço das atividades de maior destaque da Universidade em 2017 e refletir sobre os projetos para o próximo ano.

Na abertura da sessão, o Reitor destacou os desafios da educação superior no Estado do Rio de Janeiro. Segundo padre Josafá, a crise nacional afeta o ensino e a pesquisa do país, além de gerar um clima de pessimismo e desânimo. Ele ressaltou que reajustes foram feitos no final de 2017 para não comprometer a regularidade das atividades na Universidade, e que, possivelmente, outros serão feitos ao longo de 2018.

- A PUC-Rio tem enfrentado de maneira positiva esses momentos de crise, com realismo e dedicação, consciente de que não podemos abrir mão desse modelo acadêmico que nos orgulha e que tem prestado um serviço relevante à educação superior do nosso país.

Apesar do contexto econômico desfavorável, padre Josafá destacou a missão da Reitoria de ser portadora de boas notícias para a Universidade. Segundo ele, foi priorizada para o Relatório Final de 2017 a divulgação das grandes realizações do ano, sobretudo de caráter internacional, assim como dos principais visitantes à PUC.

- Como instituição católica, inspirada na Boa Nova do Evangelho, devemos ser comunicadores de esperança e divulgadores de grandes acontecimentos positivos que permearam o ano de 2017.

O Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J. Foto: Matheus Aguiar

De acordo com o Reitor, houve um empenho da Vice-Reitoria e dos centros acadêmicos para a contenção de despesas na Universidade e, segundo ele, os esforços continuarão em 2018. Com o objetivo de diminuir o impacto no orçamento, padre Josafá observou que haverá uma revisão na política de bolsas de estudo.

O Reitor enfatizou o desafio da PUC em avançar no planejamento e racionalização acadêmica dos cursos de graduação e pós-graduação. Segundo ele, isso permitirá o uso eficiente dos recursos da Universidade, tanto em relação ao corpo docente quanto ao campus. Padre Josafá também salientou a importância de se investir na interdisciplinaridade.

- Temos que incentivar as novas tecnologias, metodologias em sala de aula e planejamento acadêmico. O mundo está caminhando nessa direção, e não podemos ficar para trás.  

Em relação à Vice-Reitoria de Desenvolvimento, o Reitor frisou a necessidade de manter as parcerias já realizadas e investir em novos projetos, como na área médica e informática. Da mesma forma, ele destacou a necessidade de ampliar o programa de internacionalização da instituição.

- Oito por cento dos alunos da PUC são intercambistas. Isso é um bom cenário, pois mostra que a Universidade está ficando cada vez mais internacional.

O Reitor também ressaltou que foram desenvolvidas novas instalações na Universidade, como a inauguração da Casa de Medicina e as reformas no Serviço de Psicologia Aplicada (SPA). Ele enfatizou a doação do ex-aluno Luiz Cyrillo Fernandes para a construção de um prédio que será destinado ao Departamento de Biologia. 

Por fim, o Reitor apresentou as mudanças administrativas para 2018, que incluem mudanças de gestão do Solar Grandjean de Montigny e do Projeto Comunicar. Durante a assembleia, padre Josafá parabenizou o Vice-Reitor Comunitário, professor Augusto Sampaio, pelos 25 anos de gestão acadêmica. 

Mais Recentes
Novas oportunidades na representação estudantil
Os representantes eleitos para os Centros Acadêmicos e para o DCE Raul Amaro tomaram posse nessa terça-feira, 20.
Rotina que concilia treinos e orçamentos
O gerente de orçamento e projetos da PUC-Rio, Antonio Ferreira de Oliveira, se divide entre o ciclismo e a Universidade