Resoluções diplomáticas
30/07/2018 17:53
Pedro Madeira

O XV Modelo Intercolegial de Relações Internacionais (MIRIN) estimula o debate e expertise como a oratória

Giulia e Yasmin disseram ter ficado surpreendidas com o andamento dos comitês esse ano. Foto: Thaiane Vieira
Semana promove encontro de alunos do Ensino Médio para debater assuntos de caráter diplomático. Foto: Thaiane Vieira

A PUC-Rio sediou, entre os dias 23 e 27 de julho, o XV Modelo Intercolegial de Relações Internacionais (MIRIN). Cerca de 250 alunos do Ensino Médio de diversas escolas participaram dos encontros, que fazem simulações de organismos internacionais e debatem sobre questões atuais. A proposta é proporcionar aos participantes uma experiência próxima da realidade profissional de diplomatas, chefes de estado e ministros, em contextos de disputa internacional ou de assuntos considerados historicamente relevantes, e também de estimular a argumentação e a oratória dos estudantes. Mais de cem alunos do Departamento de Relações Internacionais e de outros departamentos da Universidade trabalharam como voluntários.

Maria Carolina disse que, apesar dos problemas, foi gratificante participar desta edição como Secretária Geral. Foto: Thaiane Vieira

Secretária Geral do MIRIN, a estudante do 7° período de Relações Internacionais Maria Carolina Soares explicou que o objetivo do encontro é colocar os alunos para aprender assuntos relacionados à política internacional que não apresentados em sala de aula, para, por exemplo, fazer uma boa redação. As atividades são organizadas em oito comitês, e os gabinetes, como o de Segurança Pública ou de Guerra às Drogas, debatem resoluções para simulações de situações diplomáticas. Esse ano teve, por exemplo, o gabinete de guerra, e os alunos representaram ministros, soldados e almirantes de diversos países. Segundo Maria Carolina, o intuito é fazer o estudante se expor, colocar a opinião dele em pauta, formular essa opinião e argumentar.

- A proposta é eles entrarem para aprender sobre política internacional e como eles podem argumentar. Eles são delegados de países, representando países, ou podem ser, como esse ano a gente fez, o conselho do Vaticano. Nesse caso, eles são bispos e cardeais. Eu quis trazer renovação, trazer mais escolas e aumentar a quantidade de diretores. E, principalmente, novos temas. A gente tenta conversar com o contexto político sempre.

O estudante Nathan da Silva Rosário, do Departamento de Relações Internacionais, participou pela segunda vez do MIRIN. Como voluntário, ele trabalhou na organização dos staffs e questões logísticas, como a preparação das salas de comitês e coffee breaks. Poder trabalhar no MIRIN e estar com os adolescentes foram os motivos que o levaram a participar das atividades. Para Nathan, a experiência não serve apenas para os interessados em relações internacionais.

- Eu acho que uma das melhores coisas da simulação é esse lugar que te coloca para falar, escutar e colaborar com outras pessoas. Para quem faz Relações Internacionais, estar envolvido justamente nesses tipos de órgãos é uma ótima experiência para descobrir como acontece uma negociação de caráter diplomático.

As estudantes do Colégio Santo Inácio Giulia Mastrangelo, 15 anos, e Yasmin Miranda, de 16 anos, fizeram pela primeira vez um comitê em dupla. As duas participaram do comitê especial de Relações Intergovernamentais, um tema novo para a Giulia, que pretende cursar Direito na graduação, e Yasmin, que quer fazer Medicina, mas também não descarta o curso de Direito. Segundo Yasmin, participar do MIRIN proporcionou novas experiências e oportunidades de conhecer pessoas.

- Tinha muita gente de primeira viagem, então a gente achou que não fosse fluir tanto, mas surpreendeu bastante. O nosso comitê tinha dois grupos separados, e acabou que a união dos dois grupos ocorreu de uma maneira que a gente não esperava. Foi uma experiência muito boa – conta Yasmin.

Mais Recentes
Meu Primeiro Dia na PUC
Calouros são recepcionados pelos departamentos nesta sexta-feira, 10 de agosto. Palestras, visitas guiadas pelo campus e troca de experiência com professores e veteranos fazem parte da programação
Novo diretor na Química
Na PUC há 16 anos, o professor Ricardo Aucélio Queiroz tomou posse do cargo de diretor do Departamento de Química em cerimônia realizada na Sala do Conselho
Ciência na prática
Simpósio Brasileiro de Pesquisa Operacional comemora 50 edições de pesquisas no Brasil