Mensagem de esperança num mundo conflitivo
16/12/2019 19:20
Padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J.

O Reitor da PUC-Rio faz uma reflexão sobre 2019 e deseja um novo ano mais justo, inclusivo e respeitoso

O ano de 2019 está terminando com emoção e perplexidade, vividas no cotidiano da sociedade, e com fortes repercussões no interior de cada um de nós. No contexto mundial, presenciamos inúmeros conflitos sociais, políticos e religiosos, em que o desejo de uma cultura de paz distanciou os sonhos que todos alimentamos de um mundo menos dividido e mais solidário.

No horizonte da América Latina, intensificaram-se as insatisfações e os sentimentos reprimidos pela falta de uma maior justiça social, retratados nas manifestações públicas que encheram as ruas e avenidas das cidades de alguns países. No Brasil, cresceu a polarização social e política, alimentada na imprensa e nas redes sociais, carente de um equilíbrio moderador que nos ajudasse a equilibrar os extremos. No meio de alguns acertos, não foram pouco os desacertos de posturas, decisões e escolhas que, se de um lado contribuíram para corrigir erros, por outro, descontruíram processos que nos ajudam na gestão de um país grande e complexo. A inexperiência de gestão, a falta de diálogo com a sociedade e os demais poderes, e as afirmações mal pensadas, contribuíram para acirrar os conflitos e intensificar os radicalismos.

 Contudo, apesar dessas mazelas, nada afastou nossa esperança de sonhar que um outro mundo é possível, onde o amor vença o ódio e as divisões sejam superadas ou amenizadas. Nossa brasilidade miscigenada, alimentada por uma fé que transcende a horizontalidade da existência, é um baluarte esperançoso em que o pessimismo declina para um desejo otimista de esperar contra toda desesperança. Fatos concretos e pequenos testemunhos, que aconteceram de maneira positiva no meio das turbulências conflitivas, foram importantes para não deixar apagar a chama da esperança que fumega em cada pessoa. Assim somos nós, que vivemos num país jovem e democrático, que abriga um povo empreendedor e criativo, embora submetido a uma série de problemas complexos em escala continental e regional, ora avançando passos, ora diminuindo o ritmo sem, contudo, deixar-se vencer pelo derrotismo.

 Na PUC-Rio, 2019 não foi um ano fácil em razão da conjuntura nacional e local, onde sentimentos de perda e alerta, solidariedade e compreensão, desolação e consolação, perplexidade e indignação foram vividos ao longo do ano, porém, sem afetar o pertencimento e o amor que todos nós temos pela nossa Universidade. Estamos terminando o ano com a sensação que fizemos o que foi possível e permitido fazer, não abrindo mão dos ideais que nos movem na fé e na esperança.

A proximidade do NATAL nos ajuda a suscitar os elevados sentimentos que carregamos dentro de nós, sabendo que a encarnação de Deus na História, por intermédio de Jesus Cristo, nos leva a valorizar os esforços humanos para continuarmos lutando e colaborando para a construção de um Brasil e um Rio de Janeiro mais justo, inclusivo, respeitoso com as diferenças e engravidado de esperança. Com este sincero desejo é que esperamos um ano novo de 2020 melhor e mais promissor, em que a chama da esperança possa brilhar com mais vigor na sociedade e em cada um de nós.  

                                

 

 

 

 

   

Mais Recentes
Reflexões e ações em tempo de confinamento
Reitor comenta a capacidade criativa e inovadora da comunidade educativa
A PUC-RIO em tempos de pandemia
Mensagem do Reitor sobre os tempos de pandemia
Mensagem do Reitor da PUC-Rio
Reitor envia mensagem a professores, funcionários e alunos