Extensão Universitária em Foco
15/06/2022 15:07
Kecila Barcelos

PUC-Rio realiza II Seminário Interdisciplinar sobre extensão universitária

O Instituto de Estudos Avançados em Humanidades (IEAHu), o Núcleo de Ação Social Comunitária e Extensão (NASCE) da Vice-Reitoria Comunitária e a Coordenação de Extensão do Departamento de Serviço Social realizaram o 2º Seminário de Extensão Universitária: caminhos interdisciplinares de ação e reflexão. A primeira parte do Seminário foi realizada no dia 8 de junho, no Auditório Del Castilho RDC, na PUC-Rio, e também foi transmitida virtualmente pela plataforma Zoom. O objetivo desta edição foi continuar o debate sobre os caminhos da extensão universitária, abordados na primeira edição do encontro, em dezembro de 2021.

A mesa de abertura contou com a participação virtual do Vice-Reitor Geral, padre Anderson Antônio Pedroso, S.J., e foi composta pelo Vice-Reitor para Assuntos Comunitários, professor Augusto Sampaio; Decano do CTCH, professor Júlio Diniz; Decano do CCS, professor Francisco Guimaraens, e mediada pela coordenadora do IEAHu, professora Maíra Martins. A primeira mesa foi formada pelo pró-reitor de extensão da PUC Minas, professor Wanderley Chieppe; assessor de extensão da UNICAP, professor João Elton de Jesus, e mediada pelas professoras Andrea Oliveira, de Serviço Social, e pela Coordenadora Central de Graduação, professora Daniela Vargas.

Mesa de abertura com o professor Augusto Sampaio, professora Maíra Martins, professor Júlio Diniz e professor Francisco Guimaraens

O professor Augusto Sampaio relembrou em sua fala de abertura como o Núcleo de Ação Social Comunitária e Extensão foi idealizado. A partir de uma simples troca de e-mails entre universidades, foi pontuado que a Vice-Reitoria Comunitária seria o órgão institucional da PUC-Rio responsável pela extensão. Após a criação de uma coordenação de extensão e ação comunitária e a participação em trabalhos externos à Universidade surgiu o NASCE.

“Há uns anos, recebi um e-mail da Vice-Reitoria Acadêmica dizendo que em resposta à indagação da UFF perguntando sobre qual era o setor responsável pela extensão da PUC, ela informou que seria a Vice-Reitoria Comunitária. No mesmo momento pensei em criar uma coordenação de extensão e ação comunitária que estivesse de acordo com a linha de ações e atividades comunitárias, pensando na identidade e missão da Universidade. Começamos a atuar em alguns projetos e trabalhos fora da Universidade. E assim surgiu o NASCE, Núcleo de Ação Social Comunitária e Extensão”, recordou.

Professor Augusto Sampaio

O assessor de extensão da Universidade Católica de Pernambuco, professor João Elton de Jesus, que participou de forma virtual do seminário, delineou as principais características de sua universidade e alguns dos projetos desenvolvidos por ela. A maioria dos cursos são voltados para a área de educação, direitos humanos, tecnologia e sustentabilidade. O principal objetivo é fazer da extensão na UNICAP um modelo de ensino que atenda ao Estado de Pernambuco e ao Brasil.

“A Universidade de Pernambuco é uma universidade que tem 80 anos de uma história comunitária, católica, jesuíta e nordestina. Nós temos de programas institucionais o UNICAP + Educação transformadora; Direitos humanos e natureza; Vida - saúde, qualidade de vida e bem viver; TIC - Tecnologia, inovação e comunicação, e Desenvolvimento integral socioambiental. E tem como visão de futuro ser uma universidade de referência no Brasil. Forte no ensino e na pesquisa e que busca ser um exemplo de excelência na extensão de acordo com as demandas de desenvolvimento regional e nacional”, pontuou.

Auditorio do Seminario

Projetos sociais na Rocinha

A segunda mesa foi mediada pela professora Nilza Rogéria Nunes, do Departamento de Serviço Social e que, por ter muitos integrantes, foi dividida em duas. Participaram da primeira parte da segunda mesa o diretor do Departamento de Ciências Sociais, professor Marcelo Burgos; o professor Rafael Soares, do Departamento de Serviço Social, e o coordenador do NEAM e do TMJ Rocinha, Davison Coutinho, e a coordenadora de Cultura Empreendedora do Instituto Gênesis; Larissa Frigotto. A outra parte da segunda mesa foi integrada pelo professor Coordenador Central do CCEAD, professor Gustavo Robichez; a diretora do Departamento de Artes & Design, professora Jackeline Farbiarz e professor Nilton Gamba, também do DAD.

Primeira parte da segunda mesa com o professor Marcelo Burgos, professor Rafael Soares, professora Nilza Rogéria Nunes, Davison Coutinho e Larissa Frigotto

Marcelo Burgos iniciou com uma apresentação dos cursos de extensão desenvolvidos na Universidade e financiados pelos editais da FAPERJ e expôs um dos trabalhos coordenados por ele: o UNIR. O projeto é uma plataforma digital que tem como propósito coletar dados sobre a Rocinha a partir de pesquisas. A disponibilização de dados concretos sobre a comunidade visa facilitar as instituições estaduais a formular ações que atendam à demanda da população.

“A gente criou dentro da Universidade o UNIR, que já nasceu com 14 departamentos envolvidos. O projeto ainda não foi institucionalizado, mas tem como principal objetivo construir uma plataforma que funcione como um repositório de dados administrativos, secundários e de pesquisa sobre a população da Rocinha. Os dados serão disponibilizados em um portal, para que se possa oferecer às cidades e às agências públicas informações úteis para a qualificação de serviços públicos”, explicou.

Professor Marcelo Burgos

O Coordenador Central do CCEAD, professor Gustavo Robichez, que também coordena o projeto Fala Pra Gente, afirmou que o foco da ação é usar a comunicação para mudar a realidade dos participantes. O curso é dividido em três grupos, sendo o primeiro voltado para a potencialização do empreendedorismo feminino na Rocinha. Os outros dois são para a área de cultura e o Parque de Inovação Social da Rocinha.

“O objetivo do projeto Fala Pra Gente é entender como a comunicação e as narrativas podem ser transformadoras da realidade das pessoas. Eu gosto de definir o projeto como um laboratório de experiências, já que trocamos muita vivência e conhecimento. A gente definiu três vertentes de aprendizado: a primeira é formativa – que priorizou lideranças e empreendedoras femininas. A segunda vai ser voltada para a arte e cultura. E a terceira é sobre o Parque de Inovação Social da Rocinha”, descreveu.

Professor Gustavo Robichez

A segunda parte de palestras ocorreu no dia 10 de junho, nas salas 118-L, 120-L e 216-L com pequenas apresentações de trabalhos de extensão.

Mais Recentes
Mesma essência em diferentes frequências
Em comemoração do centenário do rádio, a professora Rose Esquenazi analisa as transformações do meio de comunicação
Avanço sobre o desconhecido
No XXX Seminário de Iniciação Científica da PUC-Rio, alunos da Universidade recebem certificados e discutem o ofício da ciência neste século
Amizade e fraternidade social
XIII Semana da CRE discute maneiras de incentivar autonomia e cidadania na Universidade