PUC-Rio de inclusão
22/08/2023 17:59
Henrique Barbi e Sophia Marques

400 bolsistas do ProUni são acolhidos pela comunidade acadêmica

A caloura de Engenharia Quenia Costa. Foto: TV PUC

Os novos alunos contemplados com bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) compareceram ao Auditório do RDC para uma cerimônia de acolhida, realizada no dia 9 de agosto. O encontro foi dividido em duas sessões e reuniu cerca de 400 pessoas. Para dar as boas-vindas aos calouros, estiveram presentes o Reitor, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J, o Vice-Reitor Comunitário, professor Renato Callado, o Assessor Especial da Reitoria para Assuntos Comunitários, professor Augusto Sampaio, o Coordenador da Pastoral Universitária Anchieta, Padre Paulo Veríssimo, além de representantes do ProUni. 

As reuniões tiveram como finalidade esclarecer os procedimentos e as normas para a manutenção da bolsa.  A questão da continuidade dos estudos também foi abordada, com destaque para o Fundo Emergencial de Solidariedade (FESP), iniciativa instituída em 1997, pela Vice-Reitoria para Assuntos Comunitários (VRC). O programa concede auxílios nas áreas da alimentação, transporte, empréstimo de material e tratamentos de saúde em situações esporádicas ou emergenciais.

Muitos dos novatos revelaram que tinham como desejo antigo estudar no campus da Gávea, mas não acreditavam que era um lugar possível. É o caso da caloura de Engenharia Quenia Costa, de 41 anos, que é a primeira da família a cursar o ensino superior. Moradora da Rocinha, ela começou a escrever sua história com a instituição no ano passado, quando se matriculou no Pré-Vestibular Comunitário SejaMais da Pastoral Universitária Anchieta.

— Até agora não acredito que passei para a PUC-Rio. Isto é muito importante para mim. Nunca pensei que pudesse cursar Engenharia. Sempre gostei de exatas, de fazer contas, mas trabalhava com produção artística.Tenho muitas expectativas para os próximos anos, quero fazer especialização, MBA, e acho que está bom por aí.

Alguns dos organizadores compartilham vivências semelhantes a esta. Para inspirar os presentes, a Coordenadora Setorial do ProUni na Universidade, Fabíola Santos, contou que também passou a frequentar a Universidade por meio do sistema de bolsas da graduação.

— Eu morei na Baixada Fluminense e, posteriormente, na comunidade do Vidigal. Sou filha de um taxista e uma empregada doméstica. Prestei vestibular, passei, comecei a estudar com a bolsa para funcionários que existia na época, e meses depois, uma universidade pública me chamou. Mas eu já estava encantada com a PUC-Rio.

A Coordenadora Setorial do ProUni na PUC-Rio, Fabíola Santos. Foto: TV PUC

O professor Augusto Sampaio, que ficou à frente da Vice-Reitoria Comunitária durante 30 anos e deixou o cargo em julho, disse que o projeto de inserção de pessoas de baixa renda na Universidade foi um pioneirismo da PUC-Rio e influenciou a criação do ProUni. Segundo ele, o movimento começou com uma carta da Conferência dos Religiosos do Brasil, que solicitava apoio da Universidade ao projeto de Pré-Vestibular para Negros e Carentes, do Frei David. O Reitor na época, Padre Laércio Dias de Moura, S.J., disse que seria possível receber os alunos que passassem no vestibular, pelo critério do mérito. A partir daí, as portas começaram a se abrir para a sociedade.

— Sempre sonhamos com essa PUC-Rio de inclusão. No começo, eram apenas 12 alunos bolsistas no curso de Serviço Social, e hoje já se formaram mais de seis mil alunos com perfil filantrópico.

Professor Augusto Sampaio e Fabíola Santos ao fundo. Foto: TV PUC

Neste sentido, o Reitor acredita que o FESP pode seguir o mesmo caminho. Ele explicou que a PUC-Rio se encontra no equilíbrio entre instituição pública e privada. É uma universidade comunitária, que exerce o papel junto à democracia ao garantir o acesso à educação por meio do programa de permanência estudantil.

— O FESP é muito importante e inspirador. Ele significa que a comunidade se compromete. Mas não pode agir sozinho, precisa de apoio mais amplo do governo. É uma grande discussão, e é urgente.

O Reitor, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J.. Foto: TV PUC

O Vice-Reitor Comunitário Interino, professor Renato Callado, destacou as novidades no processo de atendimento na VRC. A partir de agora, os alunos podem entrar em contato pelo Instagram (@vrcpucrio) e se manter informados pelas listas de e-mail, WhatsApp, canais de atendimento da PUC-Rio e pelo Núcleo de Atendimento Institucional (NAI). A VRC também vai contar com um novo site, além de continuar com o atendimento presencial de 8h às 20h.

O Vice-Reitor Comunitário, professor Renato Callado. Foto: TV PUC

Mais Recentes
Alunos terão desconto em moradia universitária
PUC-Rio fechou parceria com Uliving, maior rede deste tipo de serviço no país
Intercâmbio de dados sobre territórios populares
PUC-Rio e Instituto Pereira Passos assinam termo de cooperação
Impactos da automação
As tecnologias digitais e a nova economia do conhecimento