Saber com generosidade
06/06/2023 16:10
Bernardo Brigagão

A dimensão acadêmica foi tema do segundo encontro de comemoração dos 40 anos da FPLF

A Fundação Padre Leonel Franca (FPLF) deu continuidade às comemorações dos 40 anos de existência da instituição no campus da PUC-Rio, no Auditório do RDC. A primeira solenidade ocorreu no dia 26 de abril, e a segunda, no dia 24 de maio, Dia de Nossa Senhora da Estrada, padroeira da Companhia de Jesus. 

A cerimônia contou, inicialmente, com a participação do Reitor da Universidade, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J., do Vice-Reitor Geral, Padre André Luís de Araújo, S.J., e do presidente da Fundação Padre Leonel Franca, Padre Roberto Barros Dias, S.J.. No discurso de abertura, Padre Roberto pediu para que todos os representantes da Fundação presentes no auditório se levantassem, num gesto de reconhecimento da contribuição de todas essas pessoas. 


Padre Anderson lembrou da figura de Padre Leonel Franca, S.J., fundador da PUC-Rio com Dom Sebastião Leme. Segundo o Reitor, a FPLF recebeu o nome de um “visionário” cuja maior obra foi a Universidade. Durante o encontro, a Vice-Reitora para Assuntos Acadêmicos, professora Marley Vellasco fez a mediação dos debates a partir de relatos voltados para o tema do encontro, que foi “dimensão acadêmica”. 

O início da conversa foi com o Delegado de Educação Jesuíta da América Latina, Padre Luiz Fernando Klein, S.J., sobre as inspirações do Pacto Educativo Global à luz da pedagogia inaciana. O Pacto Educativo Global é um chamado do Papa Francisco para que as instituições globais priorizem uma educação humanista e solidária. Padre Klein destacou os sete compromissos do Pacto, como estudar novas formas de crescimento e progresso e ouvir a voz dos jovens, além das nuances que englobam as questões educacionais no mundo. 

Padre Luiz Fernando Klein em seu discurso. Foto: Antonio Albuquerque

No decorrer da cerimônia, a Vice-Reitora Marley convidou ao palco o Vice-Reitor de Infraestrutura e Serviços, professor Luiz Fernando Martha, a Coordenadora Central de Graduação, professora Érica Rodrigues, a Coordenadora Central de Inovação e Estratégias Pedagógicas, professora Roberta Portas, e o Coordenador da Pastoral Universitária Anchieta, Padre Paulo Veríssimo. Os participantes voltaram seus depoimentos para reflexões sobre inovação, infraestrutura, tecnologia, educação e sustentabilidade. A professora Érica fez uma observação sobre a integralidade da educação e a importância da interdisciplinaridade.

- Precisamos construir terreno comum na Universidade, envolvendo uma educação integral e integrada. Construção do saber com o foco no sujeito em que temos que direcionar todas as nossas atenções. Temos um caminho de ampliar a diversidade e a interdisciplinaridade. O papel central na universidade é desenvolver a teoria da mente, se colocar no lugar do outro e na perspectiva do outro, pois convivemos com pessoas diversas e saberes distintos.

Professora Érica Rodrigues falou sobre integraçõa. Foto: Antonio Albuquerque

Padre Paulo Veríssimo foi o último a discursar, antes do encerramento do encontro. Após as falas dos demais sobre pensar o ambiente da Universidade de maneira integrada sempre a partir do diálogo, ele ressaltou a importância do intercâmbio educativo e que se deve evitar a instrumentalização do saber. 

- A transversalidade e transdisciplinaridade em todos os processos é fundamental para que não se negligencie de modo instrumentalista o que estamos fazendo aqui. Não é apenas a dimensão técnica ou a linguagem digital que vão fazer a gente garantir a execução do projeto educativo que nós temos em mente. Como integrar tudo isso, com Pedagogia Inaciana e tudo mais? A partir de um projeto de universidade com espírito.

Padre Paulo Veríssimo alertou a importância da transdisciplinaridade. Foto: Antonio Albuquerque

Por fim, o presidente da FPLF prestou homenagens ao professor José Pelúcio Ferreira (1928-2002), primeiro presidente da Fundação, e ao ex-reitor da PUC-Rio Padre Laércio Dias de Moura S.J. (1918-2012). Para encerrar a solenidade, Padre Roberto compartilhou um “segredo” do Padre Laércio, com o intuito de passar uma mensagem, e convidou todos presentes para o Lucernário, na Igreja Sagrado Coração de Jesus. 


- Ao lado da misericórdia, a generosidade se torna indulgência e, quando perto da compaixão, benevolência. Mas seu nome mais belo, que aqui uso para revelar o segredo de Padre Laércio, é quando se junta à doçura. Neste caso, a generosidade chama-se bondade. 

Padre Roberto encerrou o encontro com homenagens e memórias. Foto: Antonio Albuquerque

Mais Recentes
Os vários papéis da polícia no Mundo Atlântico
Encontros da História da PUC-Rio reuniram palestrantes da Itália, México e Brasil
Alunos terão desconto em moradia universitária
PUC-Rio fechou parceria com Uliving, maior rede deste tipo de serviço no país
A busca pela liberdade nas manifestações artísticas
Marc Lenot debate fotografia experimental a partir das ideias do filósofo Vilém Flusser