Marielle: Memória Viva
15/03/2019 18:50
Tatiana Abreu

Placa em homenagem à vereadora do PSOL é inaugurada na Vila dos Diretórios

Alunos reunidos para a Homenagem. Foto: Amanda Dutra 

Símbolo de resistência e integração, a Vila dos Diretórios recebeu na quinta-feira, 14, o nome de Marielle Franco. A inauguração da placa foi marcada por discursos sobre a ex-aluna de Ciências Sociais da PUC-Rio cuja morte completou um ano no dia da homenagem à vereadora do PSOL. Marielle e o motorista Anderson Gomes foram mortos a tiros no Estácio, Zona Norte.  

Durante a cerimônia de nomeação da Vila, alunos e professores lembraram a representatividade e resistência da política, e uma carta enviada por Marielle ao Coletivo Bastardos da PUC foi lida. A importância de perpetuar o legado da ex-ativista e a luta que ela empreendia pelos direitos humanos foi ressaltada durante a homenagem.

O Vice-Reitor para Assuntos Comunitários, professor Augusto Sampaio, fez uma relação da história de Marielle com a do ex-aluno, Raul Amaro Nin Ferreira, cujo nome foi dado ao Diretório Geral dos Estudantes. Amaro foi assassinado na década de 1970, durante a Ditadura Militar. Augusto destacou a importância de preservar a memória da ex-vereadora e compreender que, no dia 14 de março de 2018, uma jovem ex-aluna da Universidade, assim como Raul Amaro, lutava por direitos humanos e também foi assassinada.

- Muitos anos se passaram, qualquer aluno que chegue hoje à PUC deve perguntar Quem foi Raul Amaro?.Talvez daqui a um tempo perguntem também Quem foi Marielle Franco?” É muito importante ter esse nome gravado, é a memória. Tive o prazer de conhecê-la, foi minha aluna e frequentava a Vila dos Diretórios também. Marielle foi legitimamente eleita pelo povo para representar o Rio de Janeiro na Câmara dos Vereadores. Nós temos a obrigação de registrar, protestar e não deixar morrer o espírito de luta. Desejo que continuemos lutando por direitos e dignidade humana. Não podemos esquecer de Marielle Franco. Viva Marielle Franco!

 

Vice-Reito Comunitário, professor Augusto Sampaio, discursa na nomeação. Foto: Amanda Dutra 

Estudante de design, Rafaela Magnani participou da gestão anterior do DCE, da chapa Primavera. Ela ressaltou que dar o nome da ex-aluna para a Vila dos Diretórios é uma questão de representatividade e disse que, agora, os alunos buscam homologar a nomeação.

- Nós, da gestão Primavera, tivemos a ideia de homenagear a Marielle Franco, e nada seria mais representativo que dar à Vila o nome dela. Busquei um diálogo com a Vice-Reitoria Comunitária para propor a nomeação e como seria feito. Decidimos colocar as placas nos centros acadêmicos como placas de rua, assim o nome de Marielle Franco estaria em diversos lugares da Vila. O caminho agora é passar a petição entre os alunos para que a PUC homologue a nomeação.

 

Rafaela Magnani, integrante da gestão Primavera do DCE. Foto: Amanda Dutra

Integrante da nova gestão do DCE, a Bruta Flor, a aluna de Comunicação Social Maria Clara Piragibe afirmou que o objetivo do atual diretório é continuar em busca de justiça.

- O DCE Raul Amaro, gestão Bruta Flor, vai buscar estar presente na Universidade e continuar a buscar justiça. Afinal, queremos saber: Quem mandou matar Marielle?

Após a Cerimônia, os alunos seguiram para continuar o dia de homenagens em uma Aula Pública realizada na Cinelândia, Centro do Rio, ministrada pela professora Thula Pires, do Departamento de Direito.

Mais Recentes
Projeto para pessoas com deficiência auditiva vence Desafio
Parceria entre Departamento de Comunicação Social, Comunicar e Ecoa PUC-Rio premia melhores ideias de inovações em jornalismo
Cineasta dos sonhos interrompidos
O cineasta e professor Silvio Tendler, do Departamento de Comunicação Social, recebe homenagem pelos 51 anos do primeiro filme, A Revolta da Chibata. Até sexta-feira, haverá exibições de obras do documentarista, seguidas de debates.   
O futuro do meio ambiente
Simpósio debate dificuldades para o reflorestamento e a importância da participação da sociedade nesse processo