Professor Pércio Mardini se aposenta após 43 anos na PUC-Rio
25/04/2019 17:27
Ana Carolina Moraes e Juan Pablo Rey

Departamento de Química organiza aula especial para a despedida

O professor Pércio Farias em laboratório da PUC-Rio, em 1984. Foto: Arquivo Pércio Farias

O professor Pércio Mardini Farias, do Departamento de Química, despediu-se da Universidade no dia 10. Em uma aula cercada de homenagens e fotografias expostas da trajetória na Universidade, o ex-diretor do Departamento lembrou momentos marcantes dos 43 anos de PUC-Rio. O professor se aposentou e voltará a morar para o Rio Grande do Sul, onde nasceu.

Farias se formou na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e ingressou na PUC-Rio em 1974, para cursar mestrado por recomendação de professores próximos. Após concluir a dissertação em 1977, o químico iniciou o doutorado, que foi finalizado em 1983. Depois disso, se tornou professor da instituição e foi diretor do Departamento de Química em três ocasiões diferentes.

Pércio Farias quando estudante de pós-graduação, em 1974. Foto: Arquivo Pércio Farias

Na homenagem, estiveram presentes professores e alunos do curso de pós-graduação. O diretor do departamento, professor Ricardo Queiroz Aucélio, agradeceu ao químico pelos serviços prestados à Universidade e desejou boa sorte na nova etapa de vida. Durante a aula, Farias lembrou de padre Leopoldo Hainberger, S.J, fundador do Departamento de Química e enfatizou a importância de dar continuidade ao trabalho construído nesses anos todos. 

- Notei que os alunos e professores entenderam a mensagem que passei. A memória é uma coisa fabulosa, que gera a continuidade. Fui diretor aqui por vários anos e acho que meu trabalho foi sempre de lutar pela produtividade científica e pelo bom relacionamento entre os professores. Renovamos o quadro e modernizamos as linhas de pesquisa, sempre mantendo o padrão PUC.

A professora Tatiana Saint’Pierre, também do Departamento de Química, contou que conheceu Pércio quando ainda era estudante de mestrado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ela foi convidada para o Encontro Nacional de Química Analítica (ENQA), realizado no Rio de Janeiro em 1986, do qual o professor era coordenador. Tatiana lembrou com carinho da convivência ao lado de Farias.

- Ele sempre foi muito paizão para nós, era diretor quando cheguei. Por ser gaúcha, assim como ele, desenvolvemos uma amizade além da relação profissional. Fiquei na química geral por vários anos com Pércio, um ótimo professor, com um conhecimento inigualável. Vai fazer muita falta, tanto na parte profissional quanto pessoal.

Professor Pércio e os alunos de Química Geral, em 2011. Foto: Arquivo Pércio Farias

Uma das grandes paixões do professor é a fotografia, hobby que lhe garantiu o apelido de “fotógrafo do Departamento”. Ele registrou em imagens grande parte da história do Departamento de Química, do qual fez parte desde os primeiros anos. Colega de departamento de Farias, o professor Nicolás Adrián Rey comentou que, graças a essa outra vocação, Farias era convidado a participar de diversas atividades no departamento.

- Sempre no final do semestre eu fazia nas aulas um concurso de fotografias científicas e ele era sempre um dos jurados, me ajudando a escolher a melhor fotografia. Brincamos com ele que deveria escrever um livro, já que ele leva grandes histórias do departamento. Conheceu do fundador até os últimos integrantes.

Mais Recentes
Projeto para pessoas com deficiência auditiva vence Desafio
Parceria entre Departamento de Comunicação Social, Comunicar e Ecoa PUC-Rio premia melhores ideias de inovações em jornalismo
Cineasta dos sonhos interrompidos
O cineasta e professor Silvio Tendler, do Departamento de Comunicação Social, recebe homenagem pelos 51 anos do primeiro filme, A Revolta da Chibata. Até sexta-feira, haverá exibições de obras do documentarista, seguidas de debates.   
O futuro do meio ambiente
Simpósio debate dificuldades para o reflorestamento e a importância da participação da sociedade nesse processo