Panorama Ambiental do Brasil
05/06/2019 15:00
Luana Vicentina

O Reitor da PUC-Rio e o jornalista André Trigueiro comentam a conjuntura brasileira em relação ao meio ambiente

André Trigueiro e o Reitor da PUC-Rio. Foto: Maloni Cuerci.

Na primeira palestra da XXV Semana do Meio Ambiente, a importância do Sínodo da Amazônia, que ocorrerá em outubro deste ano, em Roma, foi abordada pelo Reitor da Universidade, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J..  Em seguida, o professor do Departamento de Comunicação Social e jornalista ambiental da Rede Globo André Trigueiro teceu uma análise panorâmica sobre a atual situação do país em meio às novas medidas governamentais.


Entre os desafios da Amazônia, o Reitor destacou a necessidade de pensar a floresta em escala global e os impactos que as políticas públicas nessa região podem gerar. Ele comentou também a busca por atender as demandas de desenvolvimento do Norte do Brasil, como a valorização das bases produtivas locais e a elaboração de modelos autossustentáveis. Para padre Josafá, a perda da biodiversidade no âmbito internacional deve ser uma preocupação de todos, e esta é a principal motivação do Sínodo.


— Alguns insistem que não existem mudanças climáticas, eu acho que isso é falta de um conhecimento científico, ou falta de uma equação da realidade. Nós que estudamos ciências sabemos disso, é um processo que está acontecendo progressivamente.


Trigueiro afirmou que o atual cenário, apesar de ter uma série de adversidades, ao mesmo tempo ainda apresenta quadros de esperança. Ele comentou que figuras do poder público, como o Presidente da República, devem conhecer a biodiversidade brasileira para realizar boas gestões em prol do meio ambiente. O especialista criticou, também, a desvalorização do ensino como uma forma direta de prejudicar a natureza.


— Os saberes estão na Universidade, e eu não me lembro de outro Governo, recentemente, que tenha desprezado tanto a academia e a comunidade científica.


O caso da sueca Greta Thunberg, 15 anos, que foi indicada ao prêmio Nobel da Paz por protestar em frente ao Parlamento da Suécia e promover greves escolares a favor da causa ecossistêmica, foi lembrado por Trigueiro. Segundo ele, a atitude da jovem foi um marco para a mudança de mentalidade da juventude para uma maior conscientização ambiental. O jornalista também mencionou as inovações na mobilidade urbana sustentável, como os patinetes elétricos, que, para ele, são iniciativas positivas para o futuro global.

— Sejam protagonistas! Nós delegamos e terceirizamos tudo. A democracia é ativa, a cidadania é vigilante. Manifestem-se, organizem-se, façam a diferença. Não fiquem esperando a justiça agir, a justiça deve ser provocada. Nós menosprezamos, por vezes, o potencial que ainda temos, de fazer valer a maravilha de viver em uma democracia, mesmo com todos os seus percalços e problemas.

Mais Recentes
União de esforços para uma sociedade fragmentada
Solenidade de Abertura da Semana das Comunidades celebra parceria entre a PUC-Rio e a Arquidiocese do Rio de Janeiro
Marcas de uma cidade maravilhosa
Profissionais apresentam um formato moderno para o primeiro museu virtual do Rio de Janeiro
Cem anos de Primo Levi: Memórias da Segunda Guerra
Químico sobrevivente do Holocausto é homenageado em colóquio na Universidade