NIMA: 20 anos de histórias
06/06/2019 18:33
Beatriz Puente

Ex-estagiários do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente da PUC-Rio relembram tempo de aprendizado

Depoimentos em comemoração dos 20 anos NIMA

Priscilla Allegretti, 23 anos, formada em publicidade, estagiou por um ano nas redes sociais do NIMA entre 2017 e 2018.

A ex-estagiaria do NIMA Priscilla Allegretti

“Foi muito enriquecedor para a minha formação. Durante toda a faculdade, me envolvi com atividades apenas do meio de comunicação, e lá no NIMA o ambiente é totalmente interdisciplinar. Eu tive contato com pessoas dos mais diversos cursos da PUC-Rio. Essa experiência é muito importante quando se vai construir um projeto porque, na vida, você não lida apenas com pessoas da sua área. Nunca vamos construir algo só com pessoas de engenharia ou só com advogados, é uma atividade coletiva, e ter essa vivência ajuda na hora de lidar com o mercado. E eu tive a experiência de conhecer as diferentes visões de diversos profissionais sobre o mesmo assunto: o meio ambiente. A junção desse conhecimento de todas as áreas torna um projeto muito mais enriquecedor e muito mais concreto, porque ele consegue dialogar com todos os departamentos. Eu vi que é possível fazer uma comunicação consciente e acreditar realmente no que você está trabalhando. O estágio no NIMA me abriu os olhos para as outras formas de consumir e expandiu a visão de comunicação sistêmica que eu tinha. E que comunicar pode influenciar as pessoas para atitudes mais ecológicas. O NIMA me ajudou a construir uma ética profissional. ”

Pedro Henrique Bevilaqua, 25 anos, engenharia ambiental, 13º período, estagiou por dois anos na horta.

O estudante de Engenharia Ambiental Pedro Henrique Bevilaqua

“O que tive de mais significativo foi a experiência da horta. Quando fui contratado, fiquei encarregado de cuidar dessa horta, que fica em cima do CCE. E lá nos envolvemos com diversos projetos de educação ambiental, tanto com crianças de escolas públicas quanto com alunos da PUC-Rio. Trabalhamos com produção orgânica, sem agrotóxicos, e produção contínua, quando você planta e colhe toda semana. Desenvolvemos, também, um trabalho de compostagem nessa horta, em que fazíamos essa gestão de resíduos do NIMA e levávamos para a composteira. Também tinha o Jornada Ecológicas, que era em parceria com a Escola André Maurois. Toda semana recebíamos alunos e íamos fazer uma caminhada com eles aqui na PUC. Falávamos sobre biodiversidade, sobre fauna e flora. Foi um trabalho que me enriqueceu muito, principalmente na parte de educação ambiental, e conseguir sensibilizar crianças para essa causa, com certeza, foi o mais importante para mim. ”

Marcela Gentil, 24 anos, formada em publicidade, estagiou por seis meses no NIMA.

Grupo de ex-estagiários do NIMA

- Eu fiquei apenas seis meses, mas já me apaixonei. Eu pude aprender com várias pessoas de cursos diferentes. Tínhamos reuniões semanais com vários grupos de estudos de diversas áreas. E isso é muito bom porque conhecemos tudo o que está se passando no campus, como é feito o tratamento do lixo, por exemplo. Muita coisa eu conheci no NIMA. Lá eu participei da coleta do lixo e aprendi coisas que muitas pessoas não sabem sobre a separação. Foi uma experiência necessária para mim e acredito que é para todos nós porque o meio ambiente é de todos. E quanto mais aprendemos a cuidar, de que forma ajudar, para vivermos em um planeta melhor acho, que sempre vai acrescentar. Era o que eu aprendia todo dia no NIMA.

Mais Recentes
Queimadas: o que são?
Em debate, professores explicam o que são as queimadas, os efeitos que elas provocam e quais as consequências para a vida no planeta
Reconhecimento do saber científico
Quatro acadêmicos da PUC-Rio recebem título de Professor Emérito
Novo diretor para o IRI em 2021
Professor Luis Manuel Rebelo Fernandes toma posse em cerimônia remota