Estruturas Humanas
09/10/2019 15:41
Heloiza Batista e Juan Pablo Rey

Colóquio aborda o tema Humanidades em Tempos de Cólera

Professores Júlio Diniz, Monah Winograd e Renato Lessa comandam a abertura do Colóquio. Foto: Catarina Kreischer

Estudos e compreensões das relações humanas foram os temas principais do II Colóquio de Pós-Graduação, que ocorreu no dia 30 de setembro, na Universidade. A cerimônia de abertura foi realizada pelo professor Renato Lessa, do Departamento de Direito, e mediado pela Coordenadora Setorial de Pós-Graduação do CTCH, professora Monah Winograd, e pelo Decano do CTCH, professor Júlio Diniz. 

Renato Lessa discursou sobre as compreensões da vida social e propôs reflexões acerca das relações de humanidade e modernidade. Segundo ele, o título da palestra cria três estruturas fundamentais para entender os assuntos debatidos, a ideia de impureza, abstração e formas de vida. Ele explicou os argumentos por meio de citações das obras do escritor italiano Primo Levi e fez uma conexão dos temas abordados no livro com a humanidade atual.  

- Retirei essas consciências das ideias do Primo Levi, são as ideias de impureza, indeterminação e sobretudo a ideia de que os processos naturais e humanos são marcados por dois aspectos fundamentais, o caráter da contingência e a irreversibilidade. O Primo Levi pensava em elementos que estavam na interação dos humanos, como fez em seu livro sobre a interação dos humanos nos campos de extermínio. 

Professor Renato Lessa palestra durante a abertura do Colóquio. Foto: Catarina Kreischer

O professor comentou sobre as representações dos seres, segundo ele, deve haver uma melhor ilustração do sujeito natural para um indivíduo humano. Lessa assinalou que ocorre um desconforto em relação à interpretação das humanidades atuais. Ele ressaltou que determinados grupos devem ser entendidos como classes sociais, o que retira a ideia de identidade física, de características biológicas, materiais e induzidas, para um conceito de igualdade entre os seres. 

- O agregado humano é dotado de características biológicas ou geo referidas de algum lugar. Os investimentos simbólicos que durante a existência desse agregado humano são produzidos é para que ele se veja de alguma maneira nessa dimensão de alucinação coletiva, que abriga várias alucinações diferentes.  

Durante o dia de colóquio, diversos temas foram abordados por professores da Universidade. O professor Edgar Lyra, do Departamento de Filosofia, utilizou da retórica aristotélica para analisar o contexto humanitário atual. A aluna Júlia Thurler, graduanda em Ciências Sociais e do Diretório Central de Estudantes (DCE), pontuou alguns dos desafios enfrentados pelo movimento estudantil na contemporaneidade.

Professor Paulo Fernando Carneiro de Andrade comanda a plenária de encerramento. Foto: Amanda Dutra

Durante a plenária de encerramento, o professor Paulo Fernando Carneiro de Andrade, do Departamento de Teologia, explicou alguns dos motivos de tantos pastores serem eleitos. Segundo ele, os votantes acreditam que eles são capazes de “expulsar os demônios” e não levam em consideração a capacidade política destes candidatos. Ao fim do encontro, a professora Monah Winograd afirmou que existe a intenção dos professores de transformar o dia de colóquios e discussões sobre a humanidade em um livro.

Mais Recentes
Projetos Animados
Professora do Departamento de Artes & Design explica a importância da animação
O lugar das mulheres na ciência
Grupo de alunas da PUC-Rio desenvolve iniciativa para destacar o papel feminino nos campos tecnocientíficos
A essência do embaixador
Encontro debate a importância da obra do Alberto Costa e Silva sobre a África para a composição do Brasil