Diálogo com a Universidade
11/12/2019 19:09
Ana Carolina Moraes

Desfile de moda encerra a 13ª Semana de Design e mostra um pouco o que os alunos aprendem em sala de aula

O desfile reune trabalhos dos alunos de Design de Moda. Foto: Amanda Dutra

Reforçar e construir identidades foi o fio condutor no desfile dos alunos de Design de Moda na 13ª Semana de Design da PUC-Rio. O desfile, que ocorreu no dia 14 de novembro nos pilotis do Edifício da Amizade, teve o tema Vamos falar de design. Na passarela, alunos da Universidade desempenharam a função de modelos e desfilaram com criações que incluíram desde a moda praia até uma linha mais futurística.

A supervisora de moda do Escritório Modelo de Design (EMoD), professora Luiza Marcier, é responsável pela organização do desfile. Ela contou que, para dialogar com o tema da Semana, foi preparado um “rap do Departamento”, com depoimentos de alunos, professores e funcionários sobre o design.

A professora Luiza Marcier é a organizadora do desfile. Foto: Amanda Dutra

- A aluna Iris Inui, responsável pela trilha sonora, montou uma mixagem para tocar antes do desfile, feita com vários depoimentos, que eu tenho chamado de rap do departamento. Não chega a ser um rap, mas é uma música conceitual. É uma surpresa para esta edição – disse a professora.

Outra característica do desfile foi a passarela no chão. A professora contou que a intenção desse formato é aproximar os designs do público e acabar com a concepção glamourizada dos desfiles. Ela afirmou que o departamento busca que a Semana de Design seja cada vez mais protagonizada pelos alunos e explicou que a temática forte individual de cada designer foi o que motivou a decisão de organizar a mostra em blocos, com as criações de cada um.

O modelo Marconi Morais desfila na 13ª Semana de Design da PUC-Rio. Foto: Amanda Dutra

Matheus Gramacho e Ronaldo Vasconcelos criaram uma personagem, Cacau, que foi interpretada por Marconi Morais. O trabalho foi criado para o TCC de Gramacho e era, originalmente, um editorial fotográfico. Os dois estudantes explicaram que queriam discutir o corpo andrógino, e que Cacau nasce biologicamente masculina, mas sem a figura do falo.

- Freud enxerga a diferença entre o homem e a mulher, como o primeiro é a criatura que tem o falo desenvolvido, e o segundo, não. Esse discurso falocêntrico foi o que a gente quis desconstruir com essa roupa – explicaram os designers.

Marconi, que é modelo na Mahi Models Agency, desfilou pela terceira vez na Semana de Design. Ele contou que este foi o primeiro ano em que esteve envolvido no processo, e que a roupa foi pensada para o corpo dele. O modelo ainda disse que a colaboração de todas as pessoas envolvidas no projeto foi essencial para o resultado final e ressaltou a quebra de estereótipos proposta por Cacau.

- Percebemos que tínhamos no projeto uma grande construção social que queríamos quebrar. Introduzir a Cacau é um soco na cara de muita gente que está tendo que ver aquilo, mas não está habituado. Eu também me construí muito nesse processo e sinto que Cacau é Marconi, como Marconi é Cacau - disse o modelo.

Ronaldo Vaconcelos e Matheus Gramacho, designers, e Marconi Morais, modelo. Foto: Amanda Dutra

A coleção de Maria Vitória Flores dos Santos também era próxima da realidade da estudante. Moradora da Rocinha, ela se inspirou no elemento do improviso para criar os modelos mostrados no desfile. Com o título Gambiarras, Maria disse que quis investigar a prática como um elemento da cultura brasileira e de criação de possibilidades, e não como algo degradante.

- O fato de o brasileiro conseguir pegar uma coisa e transformar em outra é uma potência. Esse é um design que não vai pela vertente comum, eurocêntrica, de criação de um produto, e sim uma visão que subverte e cria coisas únicas – destacou Maria Vitória.

Maria Vitória desfila ao lado das modelos no encerramrento do desfile. Foto: Amanda Dutra

Assim como ocorre desde a realização do primeiro desfile, o espaço do Edifício da Amizade estava cheio para a apresentação. Gabriela Szpilman, que cursa Design de Produto, disse que não perde uma edição desde que entrou na Universidade. A estudante, que cursou a disciplina Projeto 6 neste período, estava com um trabalho de Projeto 3 na exposição montada nos pilotis. Ela comentou que a Semana de Design é um momento importante para os estudantes mostrarem a sua produção.

- Todo período fazemos um projeto que pode ficar sem utilização se não levamos para frente. Aqui temos um espaço para expor os trabalhos. Eu, por exemplo, estou mostrando um projeto que foi feito lá atrás – disse Gabriela.

A estudante Gabriela Szpilman afirma que não perde uma edição do desfile. Foto: Amanda Dutra

Os alunos de Design de Moda também ressaltaram a importância de levar as criações das salas de aula para os pilotis. Para Maria Vitória, a Semana de Design oferece uma visibilidade que aproxima a área do público em geral.

- As pessoas conseguem entender melhor o que é feito no design em termos de produção. Ter uma semana que expõe trabalhos de todas as habilitações é muito importante para criar um diálogo com a Universidade como um todo – comentou Maria Vitória.

Confira mais imagens do desfile:

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

 

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

 

Foto: Amanda Dutra

Foto: Amanda Dutra

 

Mais Recentes
Suporte para o estudo e o emocional na quarentena
RAE organiza discussões para alunos debaterem a experiência de viver em isolamento social
Mães universitárias em quarentena
Alunas e mães, estudantes da PUC-Rio contam como é conciliar a rotina de estudos com o cuidado com os filhos
O poder das pequenas ações
Aluno de direito da PUC-Rio, Daniel Wainstock cria grupo para fazer bem ao próximo