Arborização urbana diferenciada
13/03/2020 15:47
Mariana Albuquerque

Reitor da PUC-Rio ministra aula inaugural do curso Paisagismo Ecológico: Planejamento e Projeto da Paisagem, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo 

Reitor ministra palestra na aula inaugural do curso Paisagismo Ecológico: Planejamento e Projeto da Paisagem. Foto: Catarina Kreischer.

Arborização Urbana: Um desafio para as nossas cidades foi tema da palestra do Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., na aula de abertura do curso Paisagismo Ecológico: Planejamento e Projeto da Paisagem, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo. Em uma realidade que ele considera cada vez mais urbanizada, o Reitor, que tem mestrado e doutorado em biologia vegetal, abordou a importância da arborização para a cidade e os desafios futuros. Ele ainda aconselhou os alunos a refletir sobre as questões da fauna e flora nas cidades e como superar desafios que surgem durante um planejamento.

Padre Josafá definiu a arborização urbana como um modelo ecossistêmico que fornece para o meio urbano espécies já pertencentes ao ecossistema local, porque, segundo ele, elas estão adaptadas e climatizadas com as condições locais. O Reitor disse que a arborização nas cidades também agrega valor ao meio, ao causar uma beleza estética que está relacionada à fauna. O Reitor ainda ressaltou a importância de ter uma riqueza biológica na área urbana e apontou as consequências positivas desses recursos naturais.

- Aqui está o nosso diferencial. Temos que ter uma representação viva da nossa biodiversidade e riqueza ecológica. Trazer para a cidade alguma coisa inédita para as pessoas. A arborização urbana também ajuda nos processos de educação ambiental, servindo como exemplo, já que as pessoas conhecem e entram em contato com a natureza. É triste ver ruas sem beleza de ecossistema. 

Padre Josafá comenta sobre arborização urbana com os alunos do curso. Foto: Catarina Kreischer.

O Reitor da PUC-Rio caracterizou como importante a integração entre as diversas áreas que envolvem o processo de arborização urbana, porque, de acordo com ele, os arquitetos fazem o planejamento e as simulações, enquanto os biólogos realizam a seleção das espécies. Para padre Josafá, a integração entre arquitetura e biologia – e até mesmo a geografia- é essencial, já que, segundo ele, na arborização urbana, tudo está inter-relacionado. 

Padre Josafá disse aos estudantes que o desafio do futuro é melhorar o processo de introdução de espécies nativas no meio urbano. Ele assinalou que a arborização deve ser a expressão da riqueza do ecossistema brasileiro e é preciso trazer mais espécies para as cidades. O Reitor ainda citou alguns pontos específicos que os futuros profissionais deveriam pensar em relação ao assunto, especialmente no momento de escolha do que deve ser plantado. 

- Vocês têm que pensar em espécies que sejam resistentes às mudanças do clima, saber onde colocar cada espécie de acordo com a temperatura e o espaço físico ao redor. Além disso, vocês devem refletir na estética e beleza da cidade em função da arborização. Ficar atentos ao que agrega valor e faz o diferencial. Vamos pensar, agora, no novo e no diferente.

Mais Recentes
Integração dos saberes marca primeiro dia de Seminário
Ao longo da semana, Universidades Jesuítas de 14 países da América Latina celebram os cinco anos da Laudato Si’
Janelas de excelência
PUC-Rio e sete universidades católicas criam parceria para ensino, pesquisa e internacionalização
Desafios da ajuda humanitária
Agentes da ACNUR relatam o trabalho com refugiados em Roraima