Suporte para o estudo e o emocional na quarentena
26/05/2020 13:34
Juan Pablo Rey

RAE organiza discussões para alunos debaterem a experiência de viver em isolamento social

A Rede de Apoio ao Estudante (RAE) da PUC-Rio tem encontrado alternativas para auxiliar os alunos durante o período da quarentena. Para isso, os atendimentos com psicólogas e psicopedagogas, antes presenciais, estão sendo feitos on-line. Às quartas-feiras, na plataforma Zoom, a RAE promove rodas de conversas com temas que discutem o período vivido desde que a Covid-19 chegou ao Brasil.

Fundada em 2015 para unificar os núcleos de serviços de apoio aos estudantes da Universidade, a RAE presta assistência aos alunos em questões como dificuldade de leitura ou escrita, ajuda na organização de estudos e até amparo psicológico, com psicólogas que fazem o acompanhamento semanal dos universitários. De acordo com a coordenadora do Núcleo de Orientação e Atendimento Psicopedagógico (NOAP), professora Zena Eisenberg, houve um aumento da procura de estudantes com ansiedade no período da quarentena.

- Estamos tendo uma concentração maior de casos de ansiedade, que é o esperado. O enclausuramento pode levar a um aumento de ansiedade, que é normal para todo mundo, mas em casos de aluno que tem diagnóstico de síndrome do pânico, ansiedade generalizada ou ansiedades específicas, isso pode agravar. Uma procura que tem sido grande também é em relação à organização dos estudos, que aumentou muito por conta dessa nova forma de estudar.

Equipe da RAE em uma jornada realizada no início do ano. Foto: Divulgação

Para se inscrever nos atendimentos online neste período de isolamento o aluno deve acessar o site da RAE e preencher um formulário. Se o estudante for do CTC, deve agendar o atendimento em um link do mesmo endereço eletrônico. Zena afirma que as rodas de conversas, realizadas às quartas-feiras e com link disponível no site da RAE, também têm despertado o interesse dos alunos.

- Foi justamente a partir das rodas de conversas da Coordenação Central de Estudo a Distância (CCEAD) que notamos que os alunos estavam precisando conversar, falar mais da situação deles. A RAE decidiu assumir essa roda que tem sido bem interessante, vemos uma ansiedade muito grande de participar e de fazer perguntas, mas também uma certa timidez de se expor. Fazemos uma pequena apresentação sobre o tema em pauta e abrimos para perguntas.

A RAE conta com cinco núcleos: o Núcleo de Orientação e Atendimento Psicopedagógico (NOAP), o Serviço de Orientação ao Universitário do Centro Técnico Científico (SOU-CTC), o Serviço Comunitário de Orientação Psicológica (PSICOM), o Núcleo de Apoio e Inclusão da Pessoa com Deficiência (NAIPD) e o Serviço de Psicologia Aplicada (SPA). Zena conta que a ideia da RAE é unir e organizar forças entre esses núcleos para haver uma colaboração mútua no atendimento aos estudantes.

- Uma das áreas de atuação da RAE é a psicopedagogia, que ajuda os alunos com a organização nos estudos, técnicas de estudo, nervosismo em prova e dificuldade para falar em público. A RAE também atua na orientação profissional, para ver se os alunos fizeram a opção de carreira correta. Tem também o núcleo do NAIPD, com estudantes que declaram no vestibular ou posteriormente algum tipo de necessidade especial. Para deficientes visuais, por exemplo, o NAIPD orienta os professores em relação ao tamanho da fonte necessária e em como dialogar com esse aluno para entender quais são as melhores formas para funcionar dentro de sala.

Mestranda em Engenharia Civil pela PUC-Rio Jéssica Santana Pereira Nunes, de 29 anos, foi uma das alunas a fazer atendimento nas áreas de orientação de carreira e organização de estudos. Jéssica, inclusive, usufruiu do atendimento on-line oferecido pela Rede de Apoio ao Estudante no período da quarentena e destacou a importância da Universidade oferecer esse tipo de auxílio à comunidade acadêmica. 

- Acredito que a atuação da RAE é mega necessária neste momento, fundamental. É um desafio muito grande para gente estar em casa, longe das pessoas, no isolamento social. É um desafio até maior conseguir se organizar e estudar em casa, assistir às aulas. Me deu mais gás e energia para continuar os estudos em casa. É muito necessário o atendimento psicológico também, porque ajuda a gente a se alinhar e lidar melhor com esse momento de aflição, angústia e ansiedade.

Mais Recentes
Sonho que se transformou em realidade, inteligência e diálogo para uma educação de qualidade
Reitor entrega medalhas a benfeitores do Fundo Patrimonial Endowment e destaca a capacidade de resiliência e superação da PUC-Rio ao longo de 2020
Inclusão Digital supera obstáculos gerados pela pandemia
Objetivo é promover o acesso a computadores e pacotes de dados para alunos da PUC-Rio em situação de vulnerabilidade socioeconômica
Trajetória de fé e solidariedade
Palestrantes relembram as ações e os caminhos percorridos por Padre Cícero e pelos fiéis