Cinco anos da Laudato Si': 'É hora de fazer a diferença'
09/06/2020 20:05
Editor Chefe

Inspirada pela Encíclica, PUC-Rio lança uma nova proposta de estímulo ao bem comum

Nos últimos cinco anos, desde a publicação da Encíclica Laudato Si', a PUC-Rio assumiu a responsabilidade de atuar ativamente na divulgação do documento ecológico de Papa Francisco no Brasil. Foram inúmeras palestras, conferências, livros lançados, reportagens produzidas pelos veículos de comunicação da Universidade, artigos e entrevistas na imprensa, campanhas institucionais e até o lançamento de uma disciplina comum a todos os alunos de graduação inspirada no tema: Ética Socioambiental.  Agora, para comemorar os cinco anos do documento escrito pelo Papa, em um momento de pandemia mundial no qual a solidariedade é ainda mais urgente, a Universidade faz uma nova proposta de estímulo às boas ações e ao bem comum.

A campanha É hora de fazer a diferença, desenvolvida pela Agência.Com, do Comunicar, retoma as reflexões propostas na Encíclica e convida a agir no presente para enxergar o futuro com esperança. Assim, a partir desta segunda-feira, 8 de junho, serão divulgados nas redes sociais da PUC-Rio conteúdos que propõem o cuidado com o meio ambiente e com o próximo diante de uma pandemia que atinge o planeta e todos os habitantes dessa Casa Comum. Neste cenário desafiador, o objetivo da campanha é retomar as orientações da Encíclica Ecológica e espalhar ações de cuidado com o meio ambiente e com as pessoas.

Publicada em junho de 2015, a Encíclica Laudato Si' traz reflexões sobre as questões socioambientais e propõe a união de pessoas e países em prol do cuidado com a Casa Comum, alertando para uma responsabilidade coletiva. A Encíclica trata de temas como poluição e mudanças climáticas, água, perda da biodiversidade, qualidade de vida, degradação social e desigualdade, sugerindo ações coletivas para um futuro mais justo.

- Vamos encontrar muitos valores ético-religiosos, explicitados dentro de uma visão sistêmica da realidade social e ambiental, sobretudo de todos nós que habitamos planetariamente nesta Casa Comum – sintetizou o Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J., no primeiro artigo que publicou no Jornal da PUC após a divulgação da Encíclica. Em um ano, o Reitor apresentou quase 30 conferências sobre o tema, por todo o Brasil, em Portugal e na França, e lançou dois livros: Pensamentos Ecológicos de Papa Francisco, que faz um resumo dos principais pontos do documento, e Laudato Si': um presente para o planeta, uma edição bilíngue que reúne textos do reitor sobre a Encíclica. A PUC-Rio também realizou uma campanha inspirada no texto do Papa para estimular boas ações (https://bit.ly/2AbzUGr).

A Laudato Si’ foi a primeira encíclica escrita inteiramente por Papa Francisco e a primeira na história da Igreja a abordar /a questão ecológica. Os principais assuntos são o consumismo desenfreado e o uso irresponsável dos recursos da natureza, pontos centrais na área do meio ambiente, em uma visão integradora que une questões sociais e ambientais em uma proposta de ecologia integral. O documento busca refletir e encontrar soluções a partir da união de todos e todas que habitam no planeta Terra.


Lanço um convite urgente a renovar o diálogo sobre a maneira como estamos a construir o futuro do planeta. Precisamos de um debate que nos una a todos, porque o desafio ambiental, que vivemos, e as suas raízes humanas dizem respeito e têm impacto sobre todos nós. O movimento ecológico mundial já percorreu um longo e rico caminho, tendo gerado numerosas agregações de cidadãos que ajudaram na consciencialização. Infelizmente, muitos esforços na busca de soluções concretas para a crise ambiental acabam, com frequência, frustrados não só pela recusa dos poderosos, mas também pelo desinteresse dos outros. As atitudes que dificultam os caminhos de solução, mesmo entre os crentes, vão da negação do problema à indiferença, à resignação acomodada ou à confiança cega nas soluções técnicas. Precisamos de nova solidariedade universal. Como disseram os bispos da África do Sul, «são necessários os talentos e o envolvimento de todos para reparar o dano causado pelos humanos sobre a criação de Deus».[22] Todos podemos colaborar, como instrumentos de Deus, no cuidado da criação, cada um a partir da sua cultura, experiência, iniciativas e capacidades. (Papa Francisco. Laudato Si'. 2015).


Artigos do Reitor da PUC-Rio sobre a Encíclica:



Mais Recentes
Integração dos saberes marca primeiro dia de Seminário
Ao longo da semana, Universidades Jesuítas de 14 países da América Latina celebram os cinco anos da Laudato Si’
Janelas de excelência
PUC-Rio e sete universidades católicas criam parceria para ensino, pesquisa e internacionalização
Desafios da ajuda humanitária
Agentes da ACNUR relatam o trabalho com refugiados em Roraima