Integração dos saberes marca primeiro dia de Seminário
14/09/2020 18:36
Ana Carolina Moraes e Letícia Messias

Ao longo da semana, Universidades Jesuítas de 14 países da América Latina celebram os cinco anos da Laudato Si’

Universidades Jesuítas em 14 países da América Latina celebram os cinco anos da Laudato Si.
.

Em comemoração da data de publicação da Encíclica do Papo Francisco, a Rede de Ambiente e Sustentabilidade da Associação de Universidades Confiadas à Companhia de Jesus na América Latina (RAS/AUSJAL) promove, ao longo desta semana, o Seminário Cinco Anos da Laudato Si’. Na manhã desta segunda-feira, 14, a abertura do encontro virtual abordou a Dimensão Teológica do documento, e teve presença do Reitor da Universidade, padre Josafá Carlos de Siqueira S.J..

Para a realização do seminário, a AUSJAL reuniu 30 Universidades Jesuítas em 14 países da América Latina. A abertura foi conduzida pelo diretor do Núcleo Interdisciplinar do Meio Ambiente (Nima) da PUC-Rio, professor Luiz Felipe Guanaes, e teve também a participação da secretária executiva da AUSJAL,Patrícia Guerrero, o diretor de Sustentabilidade Ambiental da Universidade Católica Andrés Bello (UBAB), Joaquin Benitez, a professora Florencia Cordero, da mesma instituição, e o Reitor da Universidade Jesuíta de Guadalajara, Luis Arriaga S.J.. 

Segundo Guanaes, é a primeira vez que a Universidade apresenta um encontro em rede de reflexão sobre ambiente e sustentabilidade, mas que é organizada para além dos grupos de cientistas. Isso significa que, agora, os alunos também poderão participar dos debates e conhecer diferentes pontos de vista acadêmicos. Neste sentido, padre Josafá destacou que o engajamento da sociedade à causa ambiental é algo inovador. Para ele, a consciência ecológica atual é um aspecto positivo a ser considerado, embora o planeta também viva, de acordo com ele, um aumento na destruição dos biomas. 

— Teremos que repensar muito os nossos valores. Nós nunca tivemos, na história da humanidade, um crescimento da consciência ecológica como temos hoje, em todos os lugares do mundo. É um fator de evolução extraordinário, se compararmos com o que ocorria há 50 anos. A humanidade toma mais consciência de sua responsabilidade à Casa Comum. Paradoxalmente, porém, observamos o aumento da destruição de nossos biomas. Mas somos seres resilientes e vamos conseguir dar a volta por cima e superar estas contradições. 

O Reitor da Universidade Jesuíta de Guadalajara,  Luis Arriaga S.J., ressaltou que a degradação ambiental é consequência de um modelo social que coloca em evidência a ganância humana. Segundo ele, não é possível enfrentar esta problemática sem prestar atenção na questão econômica e social. Arriaga afirmou que a crise atual é fruto da atividade do homem, e que, portanto, a sociedade também tem o poder para reverter esta realidade. 

— Esta crise não é natural, é produto da atividade humana. Portanto, podemos revertê-la. O respeito à natureza e aos direitos fundamentais estão unidos. Cresce a convicção de que um novo mundo é possível. Implica uma árdua tarefa de família, igrejas, escolas, governos e universidades. Como instituições que difundem conhecimento, as academias têm uma grande responsabilidade. São espaços para construção de alternativas, uma abertura da mente. Isso nos ajuda a pensar em uma nova universidade, ecológica, que é urgente. 

A Laudato Si’ foi escrita e publicada pelo Papa Francisco em 2015 e a primeira da Igreja a ter a questão ecológica como tema central. No documento, o Papa faz críticas ao modo de vida do mundo contemporâneo, questiona o consumo excessivo da sociedade e propõe que o homem cuide melhor da Casa Comum – a Terra. Para isto, o Papa sugere união e um esforço de todos os setores da sociedade. Desde que encíclica foi divulgada, a PUC-Rio se comprometeu a difundir o conteúdo do documento e organiza fóruns de debate. Durante o seminário on-line Cinco Anos da Laudato Si’, cinco temas serão abordados durante a semana: Teologia, Ecologia Integral, Biodiversidade, Clima e Ensino.

Mais Recentes
Janelas de excelência
PUC-Rio e sete universidades católicas criam parceria para ensino, pesquisa e internacionalização
Desafios da ajuda humanitária
Agentes da ACNUR relatam o trabalho com refugiados em Roraima