A ênfase na ciência em tempos de negacionismo
01/05/2021 17:09
.

O Reitor cita as aulas inaugurais realizadas na Universidade, no início do semestre, como uma forma de reconhecimento do papel da ciência brasileira

Vivemos tempos de polarização de ideias, posturas e práticas em um Brasil mergulhado numa crise sanitária provocada pela COVID-19. Era de se esperar que numa sociedade em que existem mais de duas mil instituições de ensino superior, muitas das quais formando dezenas de mestres e doutores anualmente, e presentes em lugares de destaque nos principais rankings internacionais, além de centenas de institutos de pesquisas, muitos dos quais de referência no exterior, a voz da ciência tivesse primazia diante de uma guerra virológica.

Infelizmente, não é isso o que acontece na nossa realidade, pois os discursos políticos de alguns governantes vão no sentido oposto, negando evidências científicas, desprezando as recomendações preventivas e preferindo se apoiar em intuições e argumentos carentes de profundidade que não encontram guarida em um mundo marcado pelo conhecimento científico. Conflitos ideológicos marcam as posturas negacionistas, impedindo que a busca da verdade, objeto principal da ciência, possa contribuir para buscar soluções para os problemas que têm ocasionado milhares de mortes pela pandemia.

       Por ser a Casa do Saber científico, as Universidades se sentem perplexas e indignadas com esse confronto negacionista que acaba penetrando no seio da sociedade, alimentando alas ideológicas e provocando repulsa em outras camadas da população, entre elas a comunidade universitária. Uma maneira de agir contra os que negam a ciência é procurar valorizar os cientistas e as suas inestimáveis contribuições, trazendo para o conhecimento da sociedade a importância do mundo científico em prol do progresso e do desenvolvimento social, econômico, cultural e ambiental. Dentro deste espírito é que algumas das Universidades, como a PUC-Rio, têm procurado priorizar nas suas aulas magna e inaugurais de 2021 as temáticas científicas, envolvendo vários campos do conhecimento com a participação de professores e pesquisadores de várias Universidades brasileiras e estrangeiras.

O Centro Técnico Científico (CTC-PUC-Rio) trouxe para a sua Aula Inaugural a temática sobre a crise climática e os desafios para a ciência no Brasil (Dr. Paulo Artaxo), assunto científico de relevância global. Para debater a importância da pós-graduação para os engenheiros, contamos com a presença do Reitor da USP (Dr. Vahan Agopyan).

O Centro de Teologia e Ciências Humanas (CTCH PUC-Rio), nas diversas aulas inaugurais, procurou valorizar temáticas e cientistas de importância na sociedade brasileira, como: Saúde oletiva em tempos de pandemia (Dr. José Gomes Temporão); Paulo Freire: vida e obra (Dr. Carlos Rodrigues Brandão); Design poético: travessias por uma escola aberta (Prof. Arturo Chicano), Entre todas coisas (Atriz e diretora Bia Lessa); Obra de pensamento: o trabalho universitário (Dra. Marilena Chaui); O pensamento do Papa Francisco em Fratelli Tutti (Dr. Élio Gasda, S.J., e Dra. Maria Clara Bingemer); Desafios políticos para a construção de uma cidade segura para as mulheres (Vereadora e arquiteta Mônica Benicio, aula ainda não realizada). 

O Centro de Ciências Sociais (CCS-PUC-Rio) procurou mesclar temáticas relacionadas com as ciências políticas, filosóficas e econômicas, como: Política monetária e comunicação (Dra. Fernanda Nechio); Encruzilhadas do Brasil anti-democrático (Dra. Rosana Pinheiro Machado); A epistemologia da Geografia: natureza, tecnologia e cultura (Dr. Antônio Carlos Vitte); O trabalho no capitalismo pandêmico (Dr. Ricardo Antunes); Comunicação e democracia no Brasil (Dr. Wilson Gomes); Liderança empreendedora e ambidestria organizacional (Dra. Flávia Cavazotte); O paradoxo de Kant e a leveza da paz (Dr. José Luís Fiori); Inteligência artificial: utopia e distopia (Dra. Dora Kaufman); O ensino do Direito sob o olhar das relações raciais (Profa. Dora Bertúlio).

O Centro Ciências Biológicas e Saúde (CCBS-PUC-Rio), convidou o Dr. Leonardo Galetto para versar sobre a temática da Historia Natural e Ecologia Política.

       As temáticas e os pesquisadores convidados revelam o apreço que a PUC-Rio tem dado neste momento, no cenário brasileiro, à ciência de nosso país,caminhando na contramão do negacionismo político e de posturas estranhas ao Estado Democrático de Direito.

                        Padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J. – Reitor da PUC-Rio           

Mais Recentes
O Dia do Professor
Reitor da PUC-Rio faz homenagem ao corpo docente da Universidade e agradece a todos pela dedicação
Provocações desafiadoras
Padre Josafá reflete sobre alguns desafios que devem ser enfrentados pelo Estado, pelas instituições e organizações da sociedade civil
Dia Mundial do Meio Ambiente: por uma ética socioambiental
Padre Josafá afirma que a ética ambiental é o melhor caminho para conscientizar a sociedade da vocação de ser guardiã do patrimônio da casa comum, que é o planeta