Novas perspectivas para o futuro das universidades
03/05/2022 17:17
Padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J.

Reitor afirma que com o projeto de renovação do Enem as instituições de Ensino Superior têm o desafio de repensar currículos e metodologias

A recente aprovação pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) do projeto de renovação do Enem para os próximos anos, apoiado no pensamento crítico, na criatividade e em soluções de problemas, com um enfoque menos conteudista, não deixa de ser algo que terá repercussão nas universidades. O pensamento crítico certamente não será o problema, pois nas universidades este modo de proceder sempre esteve presente, possibilitando aos jovens estudantes terem uma visão de profundidade diante dos problemas da sociedade, num contexto de pluralismo de ideias e concepções.

No entanto, no que se refere à solução de problemas, certamente teremos que repensar e flexibilizar os nossos currículos e metodologias, pois os jovens do Enem serão os nossos futuros alunos. Embora a criatividade nunca tenha deixado de existir no meio acadêmico, nas últimas décadas a perspectiva conteudista tomou um espaço exagerado, impedindo que as ações criativas fossem melhores trabalhadas e divulgadas nos diferentes campos do saber científico. Esquecemos muitas vezes que a criatividade inovadora é a que nos torna pioneiros no ensino e na pesquisa, fazendo a diferença e projetando as nossas universidades no cenário nacional e internacional.

Os jovens das novas gerações carregam um viés de criatividade extraordinário, desejosos que os conteúdos oferecidos pelas nossas universidades possam ajudá-los a canalizar e aprofundar aquilo que desejam para o futuro de suas profissões. Passou-se o tempo em que era preciso embasar primeiro os conteúdos acadêmicos para depois tentar solucionar os problemas inerentes a cada escolha profissional. Hoje, fascinados pelo acesso às informações e com o apoio da racionalidade tecnológica e de resultados mais imediatos, os jovens desejam solucionar os problemas que vão aparecendo, agregando expertise, habilidades e conteúdos.

O modo de proceder dos estudantes que hoje chegam às nossas universidades é muito diferente de outrora, é notório o desejo de buscar respostas e soluções para os problemas mais candentes da sociedade. Soluções simples, inteligentes, criativas e práticas são inspiradoras para os grandes projetos, muitos dos quais com um impacto significativo no mercado e na sociedade como um todo. É preciso apostar nas soluções emergentes e potenciáveis, apoiadas na ciência, pois elas revelam um potencial de grandeza e contribuem para solucionar muitos problemas novos que aparecem a cada dia no cotidiano da vida citadina.     

Diante desses novos referenciais, cabe às universidades um repensar curricular e metodológico, agregando e dando um espaço maior para a criatividade inovadora, procurando adaptar algumas de nossas inúmeras disciplinas para a solução de problemas sociais, econômicos, políticos e ambientais. Que as nossas instituições de Ensino Superior estejam abertas para acolher estes novos desafios de um novo Enem, que certamente agregarão valores na qualidade de nosso ensino e pesquisa.

Mais Recentes
Educação fraterna, sábia e amorosa
Padre Josafá aponta que o tema da Campanha da Fraternidade da CNBB pode ser uma oportunidade para escolas e universidades repensarem os métodos de ensino
De volta ao presencial em um campus seguro
Para retomar as atividades em um campus seguro, a Universidade se inspira em sua identidade e missão que são centradas no primado da pessoa, agindo sempre para o bem comum.