Desafios de criar roteiro para a TV
23/11/2015 05:01
Lorena Muniz / Foto: Reprodução TV PUC

Ex-alunos contam nova experiência por trás das câmeras.

Os ex-alunos de jornalismo e cinema da PUC-Rio, Felipe e Claudia, estudaram juntos na escola do Tablado

É no décimo segundo andar de um apartamento no Leblon que a mágica acontece. Entre os escritores talentosos que ali se encontram diariamente, estão Felipe Cabral e Claudia Sardinha. Formados pela PUC-Rio, em jornalismo e cinema, respectivamente, eles hoje são colaboradores de roteiro da nova novela das 19h Totalmente Demais, da TV Globo, cuja estreia foi no dia 9 de novembro.

 Crias do Tablado, famosa escola de teatro da Zona Sul do Rio, Felipe e Claudia chegaram a atuar juntos na peça O Dragão Verde, escrita por Felipe. Mas a parceria dos dois começou, de fato, um pouco depois, com o temido trabalho de conclusão de curso. Claudia teve a ideia de fazer uma websérie e convidou Felipe para escrever, com ela, o roteiro de Quero Ser Solteira, que mais tarde viraria uma série do canal Multishow.

 Acostumados a escrever um roteiro a quatro mãos, eles experimentam agora uma nova metodologia de trabalho. Apesar de juntos no mesmo espaço, a escrita é desenvolvida de maneira separada.

– Está sendo uma experiência nova. Antes, nós trabalhávamos de uma forma muito simbiótica e, agora, cada um recebe cenas separadas, o trabalho é um pouco diferente. Mas ainda trocamos muito, até porque somos amigos também – explica Claudia.

Os autores de Totalmente Demais, Rosane Svartman e Paulo Halm, são os responsáveis pela ideia da trama, aquilo que é o fio condutor durante a novela. Eles escaletam os capítulos – um resumo do que vai ocorrer em cada cena – e depois distribuem esse planejamento entre os colaboradores de roteiro. A partir daí, Felipe e Claudia dão seguimento à história. Mas nem sempre um mesmo roteirista escreve um determinado núcleo ou personagem. Os autores revezam para quem mandam as cenas e assim vão testando as afinidades dos escritores com as histórias.

 – É uma oportunidade de todo mundo saber escrever sobre todo mundo. É muito importante a gente saber se alternar – conta Claudia.

 Além de escrever, Felipe também é responsável pelo trabalho de pesquisa. Ele conta com a ajuda de uma consultoria jurídica e médica que presta serviços para a novela, mas ainda assim precisa buscar informações por fora para escrever histórias verossímeis à vida real. É o caso de um personagem atleta que, por causa de um acidente, vai ficar paraplégico e se tornar um paratleta. O roteirista diz que o curso de Jornalismo o ajudou nessa parte do processo.

– Nisso, a faculdade de Jornalismo acabou, depois de anos, fazendo mais sentido para mim. Eu gostava muito de entrevistar pessoas, então acabou sendo muito útil nessa parte da pesquisa para mim – comenta.

 O enredo da novela gira em torno de um triangulo amoroso, formado pelos personagens de Fábio Assunção (Arthur), Marina Ruy Barbosa (Eliza) e Felipe Simas (Jonas). De gata borralheira, Eliza será transformada em princesa pelo magnata Arthur, o príncipe encantado, mas ao mesmo tempo se apaixona por Jonas, que a ajuda a sobreviver nas ruas depois que ela foge de casa. A expectativa é que haja torcida nas redes sociais para os casais, mas nem mesmo os roteiristas sabem ainda com quem a personagem vai ficar no final.

 A novela promete ser interativa. Já antes da estreia, houve uma ação nas redes sociais em que meninas podiam se candidatar ao concurso Garota Totalmente Demais e participar das gravações. O concurso existe na novela, e é por meio dele que Eliza espera conseguir uma vida melhor para a família. Claudia conta que, além disso, os telespectadores poderão acompanhar os bastidores do concurso por uma websérie em formato de reality.

 – O público vai poder ver na internet tudo aquilo que ele não tem tempo de ver na TV. Quem for adepto da segunda tela vai ter esse a mais – explica.

 Totalmente Demais é um conto de fadas moderno, mas que faz referências a filmes clássicos e à literatura. Uma das alusões presentes no enredo é o longa-metragem Luzes da Cidade, de Charlie Chaplin. As situações vividas pelo casal Jonas e Eliza, por exemplo, algumas vezes remetem ao filme.

 – Eu acho que é uma maneira lúdica de trazer mais romance para a história dos personagens. Estou louco para ver, no meio da novela, aparecer o Chaplin. Acho que vai ser de muito bom gosto e muito bem usado – conta Felipe.

 Outra referência é o mito grego de Pigmalião, em que o criador se apaixona pela criatura. Na novela, o criador é Arthur, que transformará a arisca Eliza na Garota Totalmente Demais, um concurso para uma revista de moda.

 É a primeira vez que Felipe trabalha no roteiro de uma novela. Apesar de ser formado em jornalismo, foi na dramaturgia que descobriu a verdadeira vocação. Ele escreveu, atuou e dirigiu três curtas: Gaydar, Rótulo e Aceito. Já Claudia teve sua primeira experiência na TV em Malhação, como colaboradora de roteiro da última temporada, a Malhação Sonhos. Ela chegou a cursar quatro períodos do curso de publicidade, mas percebeu que o seu lugar era no curso de cinema. Claudia também escreveu a terceira temporada da série Vai que Cola, uma comédia.

 A dupla acredita que a formação pregressa ajuda na conquista de novos trabalhos. Na era do cinema digital, em que a autopublicação se torna cada vez mais possível, não existe motivos para “deixar ideias dentro da gaveta”. Para Felipe, a dica é acreditar e fazer os próprios projetos, que o retorno virá.

 – Acaba sendo um cartão de visita para as outras pessoas, porque começam a encarar a gente como pessoas que se produzem, e eu acho que trabalho gera trabalho. Então, façam os seus projetos, mesmo - ensina.

 

Mais Recentes
Mestres na tecnologia do audiovisual
Ex-alunos da Universidade criam feira que apresenta as novidades para games e o mercado de cinema e TV
A arte de tocar o público
Músicos que fazem covers e tributos a grandes bandas relatam experiências no palco e com a plateia
Clarice Lispector, Deus e literatura
O III Seminário de Estudos Interdisciplinares em Mística discute a presença do místico em múltiplas áreas de estudo, como nos contos da escritora Clarice Lispector