Novo diretor do Departamento de Física promete reforçar atividades de pesquisa
01/06/2016 13:46
Cecília Bueno

De volta ao cargo ocupado entre 2003 e 2008, Fernando Lázaro também se compromete a fortalecer avanços construídos pelo antecessor, o crescimento dos laboratórios

Foto: Mariana Salles 

Os investimentos em pesquisas e atividades experimentais vão superar a crise e as dificuldades crônicas do país em arrecadar fundos para a produção científica. Assim projeta o novo diretor do Departamento de Física da PUC-Rio, Fernando Lázaro, que reassume o cargo ocupado entre 2003 e 2008. “Vamos reforçar o compromisso com a ciência”, sintetizou Lázaro, ex-diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), na cerimônia de posse, quarta-feira, diante do reitor da Universidade, padre Josafá Siqueira, vice-reitores, decanos, professores e alunos.

O compromisso com a inovação desdobra-se em iniciativas como a adoção de metodologias de ensino alinhadas às novas tecnologias da informação e a reforma do currículo do bacharelado. Reflete-se também na valorização dos avanços construídos pelo antecessor, Welles Morgado, cuja gestão pavimentou, por exemplo, o crescimento dos laboratórios, a renovação do quadro docente e a implantação do ensino a distância.

Apesar da crise brasileira, estas “conquistas” serão potencializadas, garante Lázaro, para propiciar uma qualificação profissional e uma produção científica “ainda mais representativas”. Com a gentileza habitual, padre Josafá enalteceu o legado de Morgado e, em igual medida, referendou a experiência do diretor recém-empossado como uma aliada importante ao alcance dos propósitos traçados:

– O professor já conhece as glórias e inglórias do cargo. Tem uma história de pertencimento institucional e uma bagagem científica notável. Com certeza, seu mandato irá honrar o compromisso do Departamento de Física com a ciência no país – ressaltou o reitor, na cerimônia. Ao parabenizar Lázaro, acrescentou:

– Voltar a assumir uma função não é coisa da razão, e sim do coração.

Pesquisador de carreira, Fernando Lázaro reencontra a direção do Departamento de Física depois de oito anos. Em 2011, tornou-se diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, cargo em que se manteve até junho do ano passado. Fundado em 1949 e hoje incorporado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação, o CBPF desenvolve uma série de pesquisas integradas com a PUC-Rio, fora o intercâmbio de estruturas laboratoriais. Uma destas parcerias remete à interação entre pesquisadores da Universidade e do CBPF para o programa Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex), da Faperj, na área de nanotecnologia.

– Estas experiências me permitiram como preender melhor as dificuldades e as novas demandas da pesquisa científica, e assim procurar caminhos para contemplá-las. Integração entre grupos de pesquisa, por exemplo, é fundamental – reitera o novo diretor do Departamento de Física.

Da bagagem científica de Fernando Lázaro fazem parte também a coordenação da área de Física e Astronomia da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), a integração ao Advisory Board da Europhysics Letters, publicação da Sociedade Europeia de Física (European Physical Society).

Doutor em Física pela própria PUC-Rio, Lázaro retorna à direção do Departamento, que ocupou de 2003 a 2008. Pretende fortalecer investimentos e parcerias centradas na pesquisa e no desenvolvimento tecnológico e “dar continuidade aos avanços conquistados no mandato de Morgado”. Tais compromissos convergem ainda para conservar a boa avaliação nos principais indicadores de qualidade acadêmica e científica: o Departamento de Física foi qualificado com nota 6 no programa Capes e obteve cinco estrelas no Guia do Estudante.

Mais Recentes
Sustentabilidade Global
Conferência Anual da SDSN Brasil tem como tema central Cooperação para um Futuro Equitativo
Integrações de sucesso
PUC HACK premia três equipes que apresentaram soluções inovadoras para a sociedade afetada pela pandemia
Novo tecido antiviral para máscaras de proteção à Covid-19
Iniciativa é fruto de uma parceria entre o Centro Técnico Científico da PUC-Rio, Inmetro e Coppe/UFRJ