Novo diretor do Departamento de Física promete reforçar atividades de pesquisa
01/06/2016 13:46
Cecília Bueno

De volta ao cargo ocupado entre 2003 e 2008, Fernando Lázaro também se compromete a fortalecer avanços construídos pelo antecessor, o crescimento dos laboratórios

Foto: Mariana Salles 

Os investimentos em pesquisas e atividades experimentais vão superar a crise e as dificuldades crônicas do país em arrecadar fundos para a produção científica. Assim projeta o novo diretor do Departamento de Física da PUC-Rio, Fernando Lázaro, que reassume o cargo ocupado entre 2003 e 2008. “Vamos reforçar o compromisso com a ciência”, sintetizou Lázaro, ex-diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF), na cerimônia de posse, quarta-feira, diante do reitor da Universidade, padre Josafá Siqueira, vice-reitores, decanos, professores e alunos.

O compromisso com a inovação desdobra-se em iniciativas como a adoção de metodologias de ensino alinhadas às novas tecnologias da informação e a reforma do currículo do bacharelado. Reflete-se também na valorização dos avanços construídos pelo antecessor, Welles Morgado, cuja gestão pavimentou, por exemplo, o crescimento dos laboratórios, a renovação do quadro docente e a implantação do ensino a distância.

Apesar da crise brasileira, estas “conquistas” serão potencializadas, garante Lázaro, para propiciar uma qualificação profissional e uma produção científica “ainda mais representativas”. Com a gentileza habitual, padre Josafá enalteceu o legado de Morgado e, em igual medida, referendou a experiência do diretor recém-empossado como uma aliada importante ao alcance dos propósitos traçados:

– O professor já conhece as glórias e inglórias do cargo. Tem uma história de pertencimento institucional e uma bagagem científica notável. Com certeza, seu mandato irá honrar o compromisso do Departamento de Física com a ciência no país – ressaltou o reitor, na cerimônia. Ao parabenizar Lázaro, acrescentou:

– Voltar a assumir uma função não é coisa da razão, e sim do coração.

Pesquisador de carreira, Fernando Lázaro reencontra a direção do Departamento de Física depois de oito anos. Em 2011, tornou-se diretor do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas, cargo em que se manteve até junho do ano passado. Fundado em 1949 e hoje incorporado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Informação, o CBPF desenvolve uma série de pesquisas integradas com a PUC-Rio, fora o intercâmbio de estruturas laboratoriais. Uma destas parcerias remete à interação entre pesquisadores da Universidade e do CBPF para o programa Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex), da Faperj, na área de nanotecnologia.

– Estas experiências me permitiram como preender melhor as dificuldades e as novas demandas da pesquisa científica, e assim procurar caminhos para contemplá-las. Integração entre grupos de pesquisa, por exemplo, é fundamental – reitera o novo diretor do Departamento de Física.

Da bagagem científica de Fernando Lázaro fazem parte também a coordenação da área de Física e Astronomia da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), a integração ao Advisory Board da Europhysics Letters, publicação da Sociedade Europeia de Física (European Physical Society).

Doutor em Física pela própria PUC-Rio, Lázaro retorna à direção do Departamento, que ocupou de 2003 a 2008. Pretende fortalecer investimentos e parcerias centradas na pesquisa e no desenvolvimento tecnológico e “dar continuidade aos avanços conquistados no mandato de Morgado”. Tais compromissos convergem ainda para conservar a boa avaliação nos principais indicadores de qualidade acadêmica e científica: o Departamento de Física foi qualificado com nota 6 no programa Capes e obteve cinco estrelas no Guia do Estudante.

Mais Recentes
União de esforços para uma sociedade fragmentada
Solenidade de Abertura da Semana das Comunidades celebra parceria entre a PUC-Rio e a Arquidiocese do Rio de Janeiro
Marcas de uma cidade maravilhosa
Profissionais apresentam um formato moderno para o primeiro museu virtual do Rio de Janeiro
Cem anos de Primo Levi: Memórias da Segunda Guerra
Químico sobrevivente do Holocausto é homenageado em colóquio na Universidade