Parceria para reinventar o mercado de seguros
28/11/2017 10:46
Eduardo Diniz

Novo projeto lançado na Universidade, o Insurterch Innovation Program visa desenvolver produtos e serviços a partir de inovações tecnológicas

O presidente da Mongeral Eagon, Helder Molina, em palestra na Universidade Foto: Isabella Lacerda

A PUC-Rio, em parceria com a Mongeral Eagon e com a IRB Brasil, ambas empresas de seguros, apresentou, na segunda-feira, 27, no RDC, um novo projeto para alunos de graduação. O Insurtech Innovation Program é uma iniciativa que coloca os participantes frente a problemas que ocorrem no mercado de seguros e resseguros e exigem deles o desenvolvimento de novos produtos, serviços e processos baseados em inovações tecnológicas que vão ao encontro das novas mudanças.

Estiveram presentes no lançamento o Decano do Centro de Ciências Sociais, professor Luiz Roberto Cunha, o Diretor do Departamento de Informática, professor Hugo Fucks, o presidente das Mongeral Eagon, Helder Molina, o presidente da IRB Brasil, José Carlos Cardoso.

Luiz Roberto Cunha ressaltou a tradição da Universidade em programas de inovação tecnológica e alertou sobre a necessidade de reinvenção do setor de seguros. Segundo Cunha, os outros nichos da economia já se desenvolveram mais que o mercado de seguradoras, e essa parceria visa suprir essa demanda por novos métodos e soluções para a área.

Molina no lançamento do projeto Insurtech Innovation Program Foto: Isabella Lacerda

Molina pontuou que apenas 8% do mercado de fintech, ramo de inovações e usos de novas tecnologias por empresas do setor, é destinado para seguradoras.  O presidente acredita que o seguro deve ser descomplicado e não burocrático, como nos dias atuais. Ele disse ainda que, assim como outros ramos já estão muito avançados, como a medicina com os robôs e microchips, o mercado de seguros também precisa se desenvolver para entender o consumidor do século XXI.

— As pessoas querem um seguro sob demanda, e esse marcado está muito defasado. Precisamos de jovens porque eles sabem o que essa geração quer e tem um olhar de fora, que não está viciado igual aos de quem já trabalha nessa área a muitos anos, além de também terem um espirito inovador.

O professor do Departamento de Informática Gustavo Robichez explicou que o programa usa o sistema Challenge Based Learning, que desperta nos participantes o aprendizado a partir dos desafios que são propostos. Esse método também está presente em outras iniciativas da Universidade, como o Apple Academy, um laboratório para criação de softwares IOS, sistema usado pela empresa americana.

— Buscamos por talentos que pensem no além da nota. Queremos alunos que tenham vontade de aprender e que gostem de desafios. A chave do sucesso são os parceiros do mercado somados com talentos formados e modelos de negócios escaláveis. Temos tudo isso para esse projeto.

O programa iniciará em fevereiro de 2018 e tem duração prevista de 12 meses, com carga horária mínima de 20h semanais. Alunos de diversos cursos podem concorrer as vagas oferecidas. O curso será divido em quatro etapas de três meses cada, e cada uma delas contará com um novo desafio em que os participantes terão que usar a tecnologia para solucionar os problemas. Os interessados em participar do programa podem se inscrever no site www.puc-rio.br/insurtech.  

Mais Recentes
Quando o lazer vira profissão
União entre design e engenharia conquista espaço no mercado de games
Diversão para criança e adulto: Minotauro vira brinquedo
Primeiro Lote da versão a pilha do Minoutauro está entre os mais vendidos nos EUA. Robô brasileiro conquistou o público da BattleBots 2016