Desafio sobre rodas
30/07/2019 17:22
Letcia Messias

Equipe de carros off-road da PUC-Rio ganha campeonato estadual pela segunda vez

Reptiles Baja se consolida como a melhor equipe de carros off-road do Rio de Janeiro. Foto: Dada Ferreira

A Reptiles Baja foi a vencedora da IV edio de Baja Rio, que ocorreu no dia 27 de julho, em Maric. Com o resultado, a PUC-Rio se consolida como a melhor equipe de Baja do Rio de Janeiro. Com o objetivo de formar melhores profissionais, o projeto multidisciplinar formado, principalmente, por alunos de engenharia. Organizada pela Sociedade de Engenheiros Automotivos do Brasil (SAE), a equipe representa a Universidade em competies regionais e nacionais todos os anos.

Promovida por ex-integrantes de equipes de Baja, a competio estadual menor, mas funciona com os mesmos moldes das que so estruturadas pela SAE Brasil. Com sete carros nas provas, a equipe Reptiles Baja no apresentou dificuldades na maior parte das etapas, que vo desde provas de segurana e apresentao de projeto at fases de resistncia. Entre outros ganhadores esto a equipe do CEFET, que conquistou o segundo lugar, e a UFF de Volta Redonda, que ficou em terceiro.

A principal misso do projeto Baja SAE desafiar os estudantes a colocarem em prtica os conhecimentos obtidos em sala de aula, com foco no mercado de trabalho. As equipes universitrias devem projetar e construir um veculo off-road capaz de suportar terrenos acidentados e diversas condies climticas. Coordenada pelo professor do Departamento de Engenharia Mecnica da PUC-Rio, Jos Alberto dos Reis Parise, cerca de 20 alunos compem a equipe Reptiles, atualmente comandada pela estudante de Engenharia Mecnica Marina Moraes.

– O objetivo da nossa equipe formar melhores profissionais, fazer as pessoas aprenderem mesmo. Aqui conseguimos praticar e aplicar muita coisa que vemos na sala de aula, e isso tambm estimula muito a nossa autonomia, porque somos obrigados a aprender coisas novas. Muito do que fazemos no carro, mais a fundo, no vemos na faculdade. Tem que ter uma pesquisa por fora, e isso muito legal para nos estimular – disse Marina.

Marina Moraes capit da equipe Reptiles Baja. Foto: Maloni Cuerci


Uma das maiores dificuldades destacadas por Mariana conciliar o tempo de construo do veculo e as atividades acadmicas, alm do cronograma limitado. Segundo ela, em menos de seis meses, tempo entre as competies nacionais e regionais, a equipe deve realizar diversas inovaes e mudanas. Alm disso, a cada dois anos preciso reconstruir o carro para se adequar ao regulamento da competio, que dividido em vrias etapas.

– Quando chegamos l, temos que passar pela prova de segurana. A competio tem um regulamento extenso, porque so alunos criando o prottipo. Ento eles tm que garantir que o carro seguro, para que mesmo que haja algum acidente, no tenha nenhum dano pessoa que est pilotando. Os juzes seguem todos os pr-requisitos para avaliar se estamos aptos ou no. Se no seguirmos um deles, temos que voltar para nosso box, consertar e voltar para apresentar para eles. Se no for apresentada uma soluo que cumpra todos os itens, no podemos competir, porque a vida do piloto colocada em risco.

Caso a equipe consiga passar pela etapa de segurana esttica, ainda preciso enfrentar as provas de segurana dinmica, onde avaliada a capacidade do carro em passar pelos obstculos que as provas exigiro dele. Testes de acelerao, velocidade, suspenso e trao so algumas das fases obrigatrias. Aps esse perodo, o grupo precisa realizar as apresentaes do projeto e, por fim, o enduro, uma prova de resistncia.

– uma pista grande, com certos obstculos, mas no to grandes, no exigem tanto do carro. Na competio nacional so quatro horas de carro rodando, com todas as equipes ao mesmo tempo, e ganha quem consegue fazer a maior quantidade de voltas. No Baja Rio, so duas. Como o carro fica muito tempo rodando em uma pista muito acidentada, quase como uma prova para ver qual carro no quebra. Tem que ser bastante resistente para superar os obstculos e resistir o tempo de prova.

Naja o ltimo veculo fabricado pela equipe. Foto: Maloni Cuerci


Aluno de Engenharia Mecnica e piloto na equipe Reptiles, Bruno Critsinelis afirmou que um dos desafios do Baja Rio que, diferente das competies nacionais e regionais, esta concentrada em apenas um dia, mas ainda exige todas as etapas. De acordo com ele, a equipe se dedicou na preparao do carro para as provas durante as duas ltimas semanas, com treinamentos de apresentao e adequao do veculo ao regulamento. Ele explicou que, nos treinamentos de piloto, so ensinadas tticas para uma boa performance nas competies.

– Eu j tinha competido o ltimo Baja Rio, que ganhamos tambm, em janeiro, e fui o segundo piloto no nacional. Desde ento, passei a ser o primeiro piloto da Reptiles. Estar dentro do carro em uma competio representar a equipe, a PUC-Rio, o trabalho que fizemos de meses, anos, e que est na minha mo. uma responsabilidade muito legal.

Segundo Marina, para a construo de todo o projeto, a equipe conta com duas formas principais de arrecadao de verbas. A primeira delas a Universidade, o grande fornecedor de recursos financeiros. Alm disso, existem patrocnios na parte de produtos, como tintas, impresso 3D, componentes eltricos e at mesmo cursos de anlise estrutural, para que os participantes aprendam mais sobre mecnica. O incentivo, geralmente, vem de empresas que tm interesse em contribuir com equipes universitrias.

A equipe levou o trofu de melhor do Rio no ltimo sbado. Foto: Maloni Cuerci


A Reptiles Baja alcanou o 19º lugar entre 85 equipes na ltima competio nacional, no incio do ano. Nas regionais, entre todas as equipes do Sudeste, o grupo conquistou a 10º posio em 2018. Para Marina, a expectativa de que, nas prximas competies, os problemas das edies passadas sejam resolvidos e que seja superada a melhor posio obtida at ento, quando alcanaram o 6º lugar, h dois anos. A equipe, no entanto, relativamente recente. Com dez anos de existncia, o grupo s est h apenas seis anos com carros. A Associao de Baja no Brasil, por outro lado, j tem 25 anos.

Apesar de ser uma equipe composta em grande maioria por alunos de engenharia, estudantes de qualquer curso ou perodo podem participar do processo seletivo. As inscries abrem duas vezes ao ano, em maro e no incio de setembro. Segundo Critsinelis, um dos princpios da Reptiles a ajuda no s entre os membros da equipe, mas entre participantes de outras universidades tambm.

– Ns nunca esperamos que algum entre sabendo de alguma coisa, ento criamos um planejamento para cada um. Algumas pessoas tm medo de entrar na equipe, por no saber muito sobre carros, principalmente mulheres. Mas nossa maior vitria ver mulheres dentro da equipe. Sempre buscamos ajudar como que podemos, e isso o que queremos sempre manter. Do que adianta vencer a competio se no tiver mais nenhum carro na pista? o que falamos sempre nas reunies antes das competies. Estamos sempre melhorando e tentando melhorar.


Mais Recentes
Novo diretor no Departamento de Geografia e Meio Ambiente
Aluno desde 1999 e professor da Universidade h oito anos, Alexandre Solrzano assume cargo em cerimnia na Sala do Conselho
Aprender sobre o mundo e descobrir o que possvel fazer de diferente
No Meu Primeiro Dia na PUC, professores apresentam a Universidade para os calouros de 2019.2
Cozinha, resfria, esquenta e serve
O cotidiano nos bastidores do restaurante mais frequentado da PUC-Rio, o Bandejo