Conferência internacional debate a crise financeira e democrática na União Européia e América Latina.
28/05/2021 13:44
Luanna Lino

Promovida pelo IRELAC e organizada pela Jean Monnet Network em parceria com a PUC-Rio, conferência abordou temas como equidade e mudança climática

A conferência internacional promovida pelo Instituto Interdisciplinar para as Relações entre a União Europeia, a América Latina e o Caribe (IRELAC ), em parceria com a PUC-Rio, ocorreu nos dias 17 e 18 de maio,  e o tema abordado foi Crise Financeira, Equidade, Democracia e Mudança Climática: Desafios e Propostas. O principal propósito do encontro foi fazer uma análise comparativa dos aspectos sistêmicos da crise global e como isto afeta a Europa e América Latina, já que as duas compartilham dos mesmos valores, identidades e enfrentam dificuldades semelhantes.

O presidente do IRELAC, Christian Ghymes, apresentou o projeto e comunicou que o Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio  coordena parte da nova etapa do programa. Integrante da delegação da União Europeia em Brasília,Costanzo Fisogni, parabenizou as instituições acadêmicas do país por fazer parte de pesquisas de qualidade. Ele assegurou que a parceria com a América Latina é muito importante e que pretende se fortalecer em ações diretas. Ele declarou que o Brasil é um parceiro estratégico da União Europeia e que os dois trabalham juntos no combate ao terrorismo, na preservação da biodiversidade e na defesa dos direitos humanos.

- Gostaria de fazer uma breve menção ao trabalho contínuo que tem sido feito pelas instituições brasileiras e por participarem dos programas Jean Monnet. De 2014 até o dia de hoje, 17 projetos foram financiados e realizados no Brasil, isto mostra a qualidade e a capacidade das instituições acadêmicas no Brasil.

Professor Luiz Roberto Cunha, o Decano do Centro de Ciências Sociais

IRELAC é uma organização belga, de pesquisa sem fins lucrativos, aberta a universidades e organizações de pesquisa. O Decano do Centro de Ciências Sociais, professor Luiz Roberto Cunha, afirmou estar feliz em ver o projeto ganhar força e a PUC-Rio poder fazer parte deste processo. Ele agradeceu a Jean Monnet Network, organizadora do congresso, por contribuir positivamente para que o debate pudesse ocorrer. O diretor do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio, Luís Manuel Fernandes, lamentou não poder realizar o debate de maneira presencial, mas enfatizou a importância das pesquisas relacionadas ao tema.

- O fato de termos que realizar esta conferência tão significativa, de maneira remota,  destaca a importância da pesquisa que a Network está desenvolvendo, porque o que estamos enfrentando atualmente não é apenas uma crise econômica mundial, mas também uma combinação de crises.

Luís Manuel Fernandes, diretor do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio

O debate durou cerca de duas horas e diversos assuntos que dizem respeito tanto à União Europeia quanto à América Latina foram abordados. Além de buscar por uma solução para os problemas que compartilham, os convidados deram ênfase à  crise democrática e financeira nas discussões e refletiram e como isto afeta diretamente as duas regiões. Ao abordarem a crise financeira, os palestrantes afirmaram que os aspectos econômicos tiveram significativos impactos políticos, sociais e ambientais em ambas as regiões.

Eles comentaram sobre as similaridades na gestão das crises na União Europeia e na America Latina, principalmente na ênfase dos ajustes necessários para combater as crises. Assinalaram como a pandemia da Covid-19 afetou a situação econômica e social e quão importante é ter investimentos que ajudem a contornar as crises atuais que vivenciam na Europa e América Latina

Mais Recentes
Opção ágil e econômica para a leitura
Ex-aluna da PUC-RIO investe na compra e venda de livros e cria um sebo on-line
O jornalismo dos empreendedores
Editor do Projeto Colabora, Aydano André Motta aponta novos caminhos para os profissionais da área
Eterna Dama do Crime
Uma das romancistas mais populares do século XX, Agatha Christie produziu grandes títulos do gênero policial, como O Assassinato de Roger Ackroyd, lançado há 95 anos