Projeto oferece terapia para pessoas com demência
09/07/2021 11:57
Lorena Lima

Departamento de Psicologia desenvolve trabalho de Terapia de Estimulação Cognitiva de forma remota duas vezes por semana


O Serviço de Psicologia Aplicada (SPA) da PUC-Rio oferece grupos de terapia de estimulação cognitiva on-line para pessoas com demência em estágio leve e moderado. As atividades são realizadas com grupos de três ou quatro pessoas, duas vezes na semana, mas antes de iniciar as atividades, o voluntário passa por uma avaliação para análise da cognição, qualidade de vida, entre outros aspectos. Após 14 semanas de atividades, os participantes novamente são avaliados para os resultados serem ponderados. Podem se inscrever no projeto pessoas de qualquer lugar do Brasil, com mais de 60 anos, que tenham acesso à internet, um notebook/computador com câmera e microfone e já possua um diagnóstico de demência.

A Terapia de Estimulação Cognitiva (CST) é um protocolo de intervenção psicossocial criado no Reino Unido com o objetivo de estimular mentalmente os participantes pelo uso de técnicas psicológicas, em atividades de grupos. Alguns estudos já foram feitos, a eficácia das terapias é comprovada e, além do Brasil e da Inglaterra, lugares como Índia e Tanzânia também implementaram este projeto.

Pós-doutoranda no projeto de implementãção da CST no Brasil, Raquel Santos Luiza de Carvalho.

Antes da pandemia, alguns encontros dos grupos foram realizados presencialmente, na Clínica da Gávea e no Instituto de Psiquiatria da UFRJ. O plano é suspender as reuniões remotas após a pandemia. Durante as sessões, que duram 45 minutos, são desenvolvidas atividades temáticas, com músicas, imagens de pessoas conhecidas, como o cantor Roberto Carlos, para estimular os pacientes e fazer com que seja interessante e benéfico para eles. Mestre e doutora em Saúde Mental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e pós-doutoranda da PUC-Rio no projeto de implementação da CST no Brasil, Raquel Santos Luiza de Carvalho, é responsável pela coleta de dados dos voluntários e conta que os benefícios do projeto não mudaram no formato on-line.

— Eu não reconheço que tenha havido uma perda na eficácia do projeto, no ambiente on-line. Para falar verdade, acho que foi ao contrário. A atividade on-line está dando muito certo. Eles estão engajados e envolvidos, você percebe o interesse dos participantes. Eles começam, às vezes, de um jeito e, ao longo das sessões, por exemplo, eles já começam a se arrumar para os encontros. Isto mostra que eles estão motivados em participar. Neste momento de isolamento social em que, sobretudo as pessoas idosas, não estão podendo se deslocar para fazer um grupo, é um benefício — afirma.

Para mais informações sobre o projeto, é preciso enviar um e-mail para contato@cstbrasil.com.br com nome do participante e um telefone de contato.

Mais Recentes
Opção ágil e econômica para a leitura
Ex-aluna da PUC-RIO investe na compra e venda de livros e cria um sebo on-line
Amar e prezar pela vida do próximo
Missa é celebrada para comemorar os 40 anos do NEAM
Imagem que vai além da violência
Influenciadores que vivem em favelas cariocas contam em um bate-papo como é retratar a vida das comunidades com humor e leveza.