Arquivos como forma de resgate da história
01/10/2021 19:15
Luanna Lino

Professor Eduardo Morettin, da USP, ministra Aula Inaugural do Departamento de Comunicação

"A importância da memória: Cinema, Arquivos e História" foi o tema da palestra do professor Eduardo Morettin, da Escola de Comunicação da Universidade de São Paulo (USP), na Aula Inaugural que ministrou para o Departamento de Comunicação, no dia 13 de setembro. Segundo a diretora do departamento, professora Tatiana Siciliano, o assunto tem uma grande relevância atualmente, pois o Brasil vive um momento de descaso e falta de investimento na produção cultural e na preservação de acervo.

Professor Eduardo Morettin

O professor Eduardo Morettin é também autor de diversos trabalhos e um dos grandes pesquisadores brasileiros sobre o tema, ele relembrou o trajeto da Cinemateca Brasileira, cuja origem foi no clube de cinema de São Paulo em 1940, fundado por jovens estudantes do curso de filosofia da Universidade de São Paulo. De acordo com o professor, é uma história marcada por crises que são "típicas de um país pouco afeito ao investimento maciço na preservação de sua história".

Ele lembrou uma afirmação do diretor norte-americano David Griffith, responsável pela consolidação da linguagem cinematográfica clássica, de que o papel do novo meio de comunicação de massas compreendia auxiliar a população a aprender o processo de visualização da História. Para o diretor, em uma cinemateca idealizada, as imagens em movimento eliminaram as dúvidas dos consulentes, dado que os permitiria "ver o que aconteceu".

- Essa dimensão do documento e do cinema como espécie de janela para história, que estaria presente principalmente nos chamados filmes de atualidade, já foi muito criticada nos anos 1920 - disse o professor.

Morettin ainda comentou uma frase do historiador francês Jacques Le Goff, que aponta  o documento como produto de uma sociedade e parte integrante de uma luta. Para o professor, de certa forma, isto mostra um ponto de vista desse lugar em em que o documento é recuperado e os sentidos são atribuídos.

Ao abordar a dimensão relacionada aos primeiros projetos de cinemateca, trazidos por Christian-Marc Bosséno, por volta de 1908, ele comentou sobre a função da cinemateca de cumprir com a preservação da memória dos indivíduos. Assinalou  também a relação do cinema como arquivo de memória e a construção de um documento de cultura ou de história.

- Nós hoje enfrentamos um ataque orientado, no sentido de destruição, deste patrimônio, mas há esse trajeto que é importante que seja resgatado.

 

Mais Recentes
PUC-Rio faz homenagem a benfeitores
Seis personalidades recebem medalha Padre Leonel Franca
Construção de teias para ensino e aprendizagem
Função dos livros didáticos foi tema do primeiro dia de encontro do III TEIAS
Acesso democrático a bens essenciais
Participantes da 3ª Semana das Comunidades reforçam a necessidade de mais projetos que contemplem pessoas em situação vulnerável