Busca de luz e otimismo
29/03/2022 17:21
Giovanna De Luca, Luanna Lino e Vitória Barreto

Ação de acolhimento celebra a alegria do encontro e confere mais vida aos pilotis

Vice-Reitor Geral, padre Anderson Antonio Pedroso S.J. participou da ação nos pilotis (Reprodução: TV PUC-Rio)

A Vice-Reitoria Comunitária promoveu um momento de acolhimento e comemorou, no dia 28, o retorno das aulas com direito a flores e música. Motivada pelo Conselho de Identidade e Missão da PUC-Rio (CIM), a atividade começou de manhã no anfiteatro Junito Brandão com uma oficina de girassóis confeccionados com papel seda. No início da tarde, as flores forneceram um colorido especial para a apresentação do coral nos pilotis do Kennedy. 

A atividade buscou reintegrar a vivência do campus após o distanciamento nos últimos dois anos e relembrar à comunidade da PUC-Rio como a Universidade é acolhedora. O Vice-Reitor Comunitário, professor Augusto Sampaio, disse que o girassol relembra a importância do otimismo e relacionou a prática organizada durante a manhã com os valores da instituição. 

- Quando a PUC-Rio foi criada, ela tinha objetivos principais: a excelência acadêmica e, segundo, mas tão importante quanto, olhar o ser humano, acolher o ser humano, o funcionário e o terceirizado. Espalhar a paz e a compreensão. Não podemos deixar que as pessoas parem de ter o hábito de olhar para a luz, caso contrário só veremos escuridão. O motivo deste evento é trazer paz, pois bastam as tensões do mundo, da guerra, da violência urbana. As pessoas não podem esquecer que há girassóis. 

Vice-Reitor Comunitário, professor Augusto Sampaio com a equipe que ajudou a confeccionar os girassóis (Foto: Vitória Barreto) 

O Coordenador do EAD, professor Gustavo Robichez, do Departamento de Informática, que participou da confecção dos girassóis, destacou a relevância do processo da oficina, desde o primeiro passo à distribuição das dobraduras. Ele, que integra o CIM, também ressaltou que a reunião possibilitou uma reintegração relevante entre alunos, professores e funcionários.

- É a importância de encontros e reencontros para fazer uma dinâmica coletiva na Universidade para que possamos escutar um pouco os professores, alunos e funcionários e reintegrar a vida ao campus. O processo de criação do girassol, de aprender, e, depois doar, fazer esta flor para dar a alguém, isto tem um simbolismo muito forte e bastante importante neste momento. Uma experiência que possa gerar congregação e gerar a busca de sinergias entre pessoas.

A diretora do Departamento de Artes & Design, professora Jackeline Lima Farbiarz, também participou da confecção dos girassóis ao lado de outros professores e alunos. Ela contou que faz alguns anos que as pessoas distribuem flores pelo campus, mas que desta vez foi mais especial devido aos dois anos de ensino a distância e aos tempos difíceis que a pandemia causou. Para ela, que faz parte do CIM, a ação serviu para mostrar que as pessoas não estão sozinhas, e que o significado por trás da entrega das flores é mostrar o valor de estabelecer conexões e trocas.

- Passamos muito tempo distantes, tivemos uma proximidade pelas tecnologias que nos aproximaram, sim, mas precisamos nos encontrar no sol, na luz, neste campus que tem um cheiro todo especial, um jeito todo especial, uma forma de acolher toda especial.

Com regência do maestro Geraldo Lopes, 22 alunos de diferentes áreas se encontraram para fazer o que mais gostam: cantar. Durante a apresentação, cinco músicas foram interpretadas - dentre elas, Oh, Happy Day (1968), de Edwin Hawkin Singers. Aluna de psicologia e integrante do Coral da PUC-Rio há seis anos, Raquel Marinho, fez o solo. Ela destacou que estar de volta é revitalizante.

- Todo mundo estava com muita saudade de encontrar com as pessoas, rir com as pessoas, cantar com as pessoas e de estar no meio universitário. Aqui tem de tudo um pouco, tem gente de todos os cursos e de diferentes formações, tem a galera da graduação e a galera da pós. É legal demais.

Coral PUC-Rio se apresentou nos pilotis (Fota: Giovanna De Luca)

No discurso de encerramento da atividade da manhã, o Vice-Reitor Geral da PUC-Rio e presidente do CIM, padre Anderson Antônio Pedroso, S.J, expressou a alegria do encontro. Ele agradeceu a participação do coral da Universidade e garantiu que uma apresentação como esta deve se repetir mais vezes.

 - Acho que é uma alegria muito grande para a PUC, de novo a alegria do encontro. Convidaremos mais vezes o coral para iluminar e encantar os pilotis com música. Nosso objetivo, hoje, é dizer boas-vindas, que todas, todos sejam bem-vindos - finalizou.  

Mais Recentes
Troca de experiências entre países irmãos
Representantes do gabinete da primeira-dama de Angola conhecem a PUC-Rio e estudam projetos sociais para aplicar no país africano
Caminhos do fascismo
Professores analisam as configurações da extrema direita no século XXI
À escuta do outro e do Espírito Santo
Sínodo convocado por Papa Francisco no ano passado dialoga com 1,3 bilhões de pessoas