Sebo retorna ao campus
05/04/2022 19:37
Carolina Smolentzov

Edição movimentou mais de 7 mil livros em 5 dias, entre vendas e doações

Foto: Luanna Lino

A última edição do Sebo Solidário da Costura e Lactário Pró-Infância (CELPI) terminou com o apagar das luzes da PUC-Rio, no último dia de aula antes do fechamento por conta da pandemia. Depois de dois anos hibernando, ele voltou ao campus da Universidade, mas foi como se nada tivesse mudado. Durante cinco dias, foram vendidos 6.215 livros, e doados mais 1.549. O familiar espaço nos pilotis da Ala Kennedy já se tornou, para alunos, professores e funcionários, um ponto de encontro de boas leituras e oportunidades para encontrar um título especial. 

A emoção de quem organiza é grande. Anos de ação formaram uma rede de voluntários, apoiadores e leitores, que periodicamente se reúnem, durante uma semana, no campus. O estoque dos livros muda todo dia por causa do fluxo contínuo de contribuições recebidas no centro da CELPI, em Botafogo. Apesar das vendas pela internet e pelas redes sociais continuarem, os encontros na Gávea são a maior fonte de movimentação do sebo, segundo professora Mariana Albuquerque, do Departamento de Economia, que é uma voluntária do projeto. Desta vez, foram quase dois mil livros só no primeiro dia, entre vendas e doações.

- As importâncias são múltiplas. Para a CELPI, que é a obra social para onde vai a receita do sebo, é muito importante porque conseguimos conhecer mais pessoas. Já conhecemos voluntários, doadores, mais leitores. E hoje, eu acho que para a comunidade PUC também é importante, porque eu vejo que os alunos aproveitam, compram pilhas de livros e pagam o preço de um livro na livraria. Eu já me emocionei várias vezes com o que as pessoas falaram aqui: que é a melhor época do ano, que é maravilhoso, que estavam esperando.

Professora Mariana Albuquerque (Foto: Luanna Lino)

Já na sua 20º temporada, o sebo encontra ainda maneiras de retribuir, nas palavras de Mariana, a acolhida generosa da PUC-Rio. Nesta edição, professores, funcionários e alunos bolsistas tiveram direito a um vale de R$ 20 para aproveitar qualquer exemplar. Aluna de Comunicação Social e bolsista integral pelo ProUni, Rayanne Azevedo já conhecia o projeto, mas só o explorou totalmente este ano. Para ela, o sebo e o vale são muito importantes, porque auxiliam, inclusive, na compra de livros indicados por professores nas salas de aula.

- Eu conheci o sebo andando pelos pilotis em 2019. Gostei muito da curadoria, achei vários livros que eu via na livraria por R$ 50, e aqui estava perfeito e por R$ 5. Eu gosto de comprar no sebo porque os preços são muito melhores e, diferente do que pensam, os livros estão muito bem conservados, e as opções são realmente muito boas.

Outros estudantes, como Ariane Moura, do 3º período do curso de Neurociências, concordam com a visão de que o sebo permite explorar temas referentes à graduação. Por ter ingressado na Universidade ainda durante a pandemia, a aluna não conhecia o estande que é montado nos pilotis. Não demorou muito, porém, para que ela garimpasse e escolhesse exemplares nos pilotis. 

- Eu achei muito interessante, porque ontem estava andando com amigas e não consegui achar nada. Nesta hora, eu peguei um livro muito legal sobre um dos tópicos da neurociência. Eu fui ver na internet e estava muito caro, e aqui ele está em ótimo estado, e paguei R$ 15.

Foto: Luanna Lino

A empolgação do público ficou comprovada pelos números: mesmo entre dias chuvosos e calouros desavisados, esta temporada teve um fluxo ainda maior do que a última vez antes da pandemia. Para Mariana, apesar da breve interrupção, tudo retornou ao mesmo ponto - uma união entre leitura, comunidade e retribuição.

- Achei as pessoas muito motivadas. Nós tínhamos um pouco de curiosidade, porque o sebo já tinha virado uma tradição na PUC, mas ficamos dois anos sem aparecer. Havia alunos novos que nunca tinham visto, e ao mesmo tempo, alguns de nossos leitores já tinham se formado. Mas achamos que todos estavam sentindo falta do sebo, e o retorno foi muito bom. É uma semana muito mágica para nós, e saímos com a alma lavada.

Mais Recentes
Troca de experiências entre países irmãos
Representantes do gabinete da primeira-dama de Angola conhecem a PUC-Rio e estudam projetos sociais para aplicar no país africano
Caminhos do fascismo
Professores analisam as configurações da extrema direita no século XXI
À escuta do outro e do Espírito Santo
Sínodo convocado por Papa Francisco no ano passado dialoga com 1,3 bilhões de pessoas