Espaço para a inovação
01/07/2022 17:45
Giulia Matos

Pedra fundamental do Parque de Inovação da Gávea é inaugurada no campus

Capsula do tempo e maquete do Parque de Inovação da Gávea. / Foto: Diogo Maduell

O Reitor da PUC-Rio, padre Anderson Antonio Pedroso, S.J., inaugurou a pedra fundamental do Instituto Gênesis, centro de inovações e de disseminação de empreendedorismo, no dia 1º de julho. A cerimônia simbolizou o início das obras do Parque de Inovação da Gávea, projetado pelo Departamento de Arquitetura e Urbanismo, e será construído em um dos estacionamentos do campus, próximo da Ala Kennedy.

Como celebração, uma cápsula do tempo, que contém uma Carta do Futuro, e lembranças de noticiários e fotos atuais, foi deixada junto à pedra fundamental. Ela deverá ser aberta em 2040, ano em que a Universidade completará 100 anos. A cápsula do tempo foi apresentada pelo diretor do Instituto Gênesis, João Gabriel Hargreaves e enterrada presidente da Empresa Júnior, a estudante de Engenharia Beatrice Stewart Rebelli.

O projeto arquitetônico utilizará materiais com selo de qualidade e certificado de sustentabilidade, como a madeira laminada cruzada (CLT), e a construção vai ocupar uma área de 240m² e terá 550m² de boulevard ao redor. O parque funcionará como um polo de excelência voltado à geração de modelos inéditos que atendam às demandas de grandes transformações do mercado e a ideia é gerar impacto socioambiental positivo. Financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (FAPERJ), a obra está prevista para terminar em dezembro de 2022.

Reitor da PUC-Rio, padre Anderson Antonio Pedroso, S.J. / Foto: Diogo Maduell

Padre Anderson realizou o primeiro ato como reitor ao descerrar a placa da pedra fundamental, junto ao diretor da FAPERJ, Maurício de Vasconcellos Guedes Pereira. Na abertura do encontro, ele enfatizou o simbolismo do Parque para a Universidade, pois corresponde a um polo de inovação, e ressaltou que isto promove um período de unidade na instituição.

- É um local que direciona a Universidade para a inovação e que reúne os melhores talentos, esforços que temos. Além disso, esse é um momento em que demonstramos uma grande união, na diversidade que é a PUC-Rio. Estamos juntos da FAPERJ, que nos dá esta oportunidade. É uma convergência de muito esforço. Quando juntamos talentos que exprimem riqueza e unidade, isto nos traz satisfação e nos ajuda a compreender o horizonte amplo e a capacidade que temos de progresso. Costumamos dizer que sozinhos podemos chegar mais rápido, porém juntos nós chegamos longe.

O Reitor agradeceu a presença de todos e afirmou que a futura construção representa um novo paradigma, e que será um lugar significativo, no qual os estudantes poderão se sentir considerados e confortáveis. O jesuíta utilizou uma metáfora ao mencionar que integrar a PUC-Rio, seja como aluno ou funcionário, é como uma travessia.

- Gostei do fato de ser um ambiente importante para os alunos, em que eles possam vivenciar essas experiências e serem acolhidos. O tempo é consciência, presença, espaço e interação. Acredito que projetamos um novo paradigma, um espaço de tempo no qual as pessoas no entorno reconheçam-se pertencentes. A metáfora da travessia é muito interessante. Fazer parte da PUC-Rio é uma travessia que fazemos muitas vezes, alguns como estudantes, outros como pesquisadores, e agora realizamos uma travessia orquestrada. Desejo que isto possa nos inspirar.

Reitor da PUC-Rio, padre Anderson Antonio Pedroso, S.J., e o Diretor da FAPERJ, Maurício de Vasconcellos Guedes Pereira no descerrar da placa da pedra fundamental / Foto: Diogo Maduell

O Diretor da FAPERJ declarou estar muito honrado em participar do projeto e reiterou o quão presente a Universidade é em relação ao incentivo a pesquisas e a avanços tecnológicos. Guedes parabenizou a PUC-Rio pelo resultado do edital da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), em que o projeto está incluído, e lembrou sobre a aprovação de lei e proposta, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), e na Câmara dos Deputados que viabilizam os investimentos em tecnologia.

- Ontem foi um dia rico de novidades. Além do resultado do edital da FINEP, que contempla o Parque de Inovação da Gávea, foi aprovada uma lei de inovação na Alerj, que trará novas oportunidades para a atuação neste ramo de tecnologia e avanços, e um projeto de lei na Câmara dos Deputados que cria figura para os centros de pesquisa e inovações de empresas, o que institui importância para o setor. Um passo importante e que poderá ser útil nesta iniciativa da PUC-Rio.

Guedes realçou que o incentivo a jovens talentos e o destaque para todos aqueles envolvidos em pesquisas ajudam a construir um país e um Rio de Janeiro melhor. Ele apontou que uma das melhores definições para um centro tecnológico, como o proposto pela parceria, é o de ponto de encontro, pois é um lugar onde as pessoas se encontram.

- Há de ter uma preocupação em apoiar jovens talentos e os indivíduos que trabalham nestas pesquisas e inovações. Acho que assim construiremos um Brasil e um estado melhor. Costumo dizer que ponto de encontro é uma das melhores definições para programas como o Parque, pois são nestes locais que grupos reúnem para conversar, entre outros. Este campus é uma joia e é aprazível. Desejo muito sucesso para a iniciativa.

Área multifuncional

O Diretor do Instituto Tecgraf PUC-Rio, professor Marcelo Gattass, agradeceu a FAPERJ pelo investimento e confiança no projeto. Ele mencionou como a iniciativa pode ajudar na jornada da sustentabilidade na instituição, de modo que possa receber destaque por isso, e citou como a Universidade procura investir em diferentes áreas, departamentos, para que possa apoiar projetos que impactem a sociedade de alguma forma.

- O campus tem essa diversidade de pessoas, de ideias. O processo criativo que ocorre dentro da PUC é muito plural. Há o sonho de criar o Parque de Inovação da Gávea, que está relacionado com o desejo de auxiliar no estabelecimento de uma sustentabilidade diferente, única no mundo. Lançamos possibilidades e braços para todos os setores, e a área de inovação tem múltiplas vertentes, aproveito para destacar o apoio e patrocínio de empresas aqui conosco. Buscamos que isso cresça, crie riquezas para que a sociedade forme pessoas que se tenham como base o conhecimento.

Decano do CTC, professor Sidnei Paciornik. / Foto: Diogo Maduell

O Decano do Centro Técnico Científico da PUC-Rio, Sidnei Paciornik, enfatizou que o local também será sede do programa Ecossistema de Formação e Inovação para a Sociedade Digital Inclusiva e Sustentável, que combina diversos setores da PUC-Rio, como centros, departamentos e unidades complementares, com o intuito de gerar inovação, que usará espaços como o InovaFab e DHLab. Ambos são frutos da articulação da Agência PUC-Rio de Inovação (AGI) e do Instituto Gênesis.

- Tentamos aplicar o sucesso que possuímos com pesquisas no nível da pós-graduação, de integração de empresas, para a graduação. Imaginamos trabalhar em conjunto com a nossa Agência de Inovação, com todos os departamentos e todos os centros, em dois espaços. Um que não está no campus, o Digital Humanities Lab (Laboratório de Humanidades Digitais), que completamos agora com um espaço voltado para a pós-graduação e pesquisa, e um novo local que é o InovaFab, que já existe na PUC e está em reforma. 

O Digital Humanities Lab é um projeto financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), que visa trazer conhecimentos do universo digital para alunos de pós-graduação, pesquisadores e professores da área de humanidades. Já o InovaFab será um espaço de co-working e laboratórios com tecnologias modernas, como a impressão 3D, e ficará aberto a qualquer aluno de graduação da Universidade.

Diretor do Instituto Gênesis, João Gabriel Hargreaves. / Foto: Diogo Maduell

Diretor do Instituto Gênesis, João Gabriel Hargreaves, anunciou que o programa teve origem em uma dissertação de doutorado que abordava o conceito de Tripla Hélice, modelo que propõe interações entre academia, indústria e governo, feita pela ex-integrante do grupo e atual gerente de ambientes de inovação da Firjan, Julia Zardo. A ideia foi contemplada pela Universidade, que adotou e propôs algumas implementações. Ele reiterou como o espaço será utilizado por aqueles que tenham vínculo com a PUC-Rio para episódios de descanso, para transmissões de palestras em um telão, entre outros.

- Temos empresas, a Universidade, o governo, todos eles espelhados na ideia de doutorado de Julia Zardo, ainda quando estava no Gênesis. Incluímos dois itens a mais, o social e o ambiental. A área será desfrutada por alunos, professores, graduandos e doutorandos, que é gerada em torno do boulevard que haverá aqui. Haverá mesas, cadeiras que poderão ser usadas em momentos de lazer. Teremos telões bluetooth em que serão exibidas informações, músicas, conteúdos de entretenimento, e também workshops, palestras, entre outros. 

Mais Recentes
Compromisso com a democracia
PUC-Rio tem uma longa tradição em favor da cidadania
Publicidade digital na política
Observatório das Eleições divulga resultados da primeira pesquisa do Núcleo de Tecnologia do Departamento de Comunicação
Sem medo do autoexame
Em uma roda de conversa, médicos chamam a atenção para a importância do diagnóstico precoce