Integração para deveres pastorais
09/11/2022 17:57
Gabriel Meirelles e Giulia Matos

À luz da identidade e missão, Padre Anderson lança consórcio entre unidades espirituais da Universidade

Equipe do Consórcio de Iniciativas Pastorais reunida (Foto: Luanna Lino)

O Reitor da PUC-Rio, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J., celebrou a missa de lançamento do Consórcio de Iniciativas Pastorais (CIP) no dia 3 de novembro, na Igreja do Sagrado Coração de Jesus. O objetivo do projeto é integrar as unidades de ação pastoral da Universidade: Igreja, Pastoral Universitária Anchieta, Centro Loyola de Fé e Cultura e Identidade e Missão.

Os padres responsáveis por cada setor concelebraram a eucaristia: O Vice-Reitor  Geral e diretor do Centro Loyola, Padre André Luís de Araújo, S.J., o assessor especial da Reitoria para a Formação em Identidade e Missão, Padre José Abel de Sousa, S.J., e o coordenador da Pastoral, Padre Paulo Veríssimo, S.J.. Por causa de um compromisso, o Reitor da igreja, Padre Arnaldo Rodrigues, participou apenas do início do ato litúrgico. 

Padres responsáveis por cada setor do Consórcio. Da esquerda para a direita: Padre Abel, Padre André, Padre Anderson, Padre Arnaldo e Padre Paulo (Foto: Luanna Lino)

No começo da missa, Padre Anderson destacou a marca espiritual de todas as ações da Universidade e anunciou que o modelo do consórcio será aplicado em outros serviços da PUC-Rio. Para o Reitor, esta união tem como um dos objetivos cuidar mais das pessoas contempladas pelos três setores, sobretudo os alunos, e auxiliar na gestão financeira.

— Estamos anunciando o modelo de gestão no qual muitos serviços que estão na mesma direção se unem em consórcio, ou seja, conserva autonomia, mas com uma base muito sólida e comum. Esses serviços vão se render cada vez mais. Isso aqui é um modelo de gestão, que quer ajudar, quer se envolver e que também não perca energia e forças em atividades, muitas vezes, importantes, boas, mas isoladas.

Reitor da PUC-Rio, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J. (Foto: Luanna Lino)

Padre Anderson reforçou que a dimensão material está voltada para a espiritual e espera que este consórcio ilumine a Universidade e direcione os trabalhos em prol do bem da comunidade.

O Reitor da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, Padre Arnaldo Rodrigues, afirmou que o Consórcio tem o intuito de promover a transparência e a união entre as instituições que participam do projeto. A ação realizada em conjunto contribuirá para que este propósito floresça e se torne mais potente. Ele reiterou que a Igreja vai  participar no setor sacramental e com o testemunho cristão para alcançar esse objetivo.

— A ideia do Consórcio é organizar a transparência, questão já abordada e trabalhada pela Universidade, principalmente para otimizarmos o fator econômico. Assim, podemos proporcionar uma sustentabilidade para todas as instituições que o integram. Juntos, temos a facilidade, a força, de torná-lo em uma potência, para transmitir a mensagem de maneira clara, objetiva e sustentável. Dentro do projeto, o planejamento da Igreja permanece com a parte mais sacramental, para contribuir com a sustentabilidade, e de um testemunho cristão, para levar ao público a mensagem com mais objetividade.

Reitor da Igreja da PUC-Rio, Padre Arnaldo Rodrigues (Foto: Luanna Lino)

Perda e encontro

Na homilia, o Vice-Reitor Geral da PUC-Rio e diretor do Centro Loyola de Fé e Cultura, Padre André Luís de Araújo, S.J., frisou que o Consórcio não visa apenas à parte financeira, mas uma ação pastoral de sair em busca do outro. O sacerdote notou que o termo “encontro” apareceu mais vezes na Liturgia da Palavra do que “perda”. Segundo o jesuíta, apesar das inúmeras privações sofridas durante a vida, os encontros são maiores.

— Vimos que a primeira leitura de hoje mostra a identidade de Paulo e que vai escrevendo tudo aquilo que aconteceu na vida dele, uma vida anterior a um processo de conversão e tudo que nós depois conhecemos de quem foi o Saulo até conhecê-lo como Paulo. Podemos dizer que o consórcio parte de uma experiência vivida e de uma necessidade de transformação para que outras coisas possam dar frutos e que para além dos resultados, que podem ser positivos ou não, do ponto de vista administrativo.

O sacerdote, que coordena os projetos do Centro Loyola de Fé e Cultura, explicou que a unidade trabalha atualmente na reforma do próprio site, e que ele pretende iniciar uma série de reformas físicas, com o intuito de melhor atender as atividades presenciais.

— Vamos também fazer um planejamento Pastoral, que precisa ser interno. Desse modo, conseguimos analisar o que nos é incumbido e produzir um planejamento depois com o Consórcio. Se houver coisas que eu ofereço e que as outras unidades também oferecem, porque não fazermos isso junto? Em tese e em suma é isso: colocar esses pontos de maneira mais organizada.

Vice-Reitor Geral da PUC-Rio, Padre André Luís de Araújo, S.J. (à direita) e Padre José Abel de Sousa, S.J. (à esquerda) / Foto: Luanna Lino

Unidade na transdisciplinaridade

O assessor especial da Reitoria para a Formação em Identidade e Missão, Padre José Abel de Sousa, S.J., reforçou a busca da Universidade pela formação não somente acadêmica, mas também humana e cidadã. Padre Abel definiu a identidade como a base e a História da instituição, enquanto a missão é pensar na forma de colocar os ideais em prática nas circunstâncias atuais. Ele comentou, ainda, o papel do setor neste consórcio: interagir entre cada unidade e departamento para garantir uma articulação completa em toda a Universidade.

— Saiamos das nossas zonas de conforto e tenhamos uma integração bem grande, algo integrado em que as autonomias seguem, mas a ajuda também. Não cabe mais os isolamentos. Pensamos numa dimensão de transdisciplinaridade, em que  cada disciplina, cada iniciativa ajuda a outra.

O Coordenador da Pastoral Universitária Anchieta, Padre Paulo Veríssimo, S.J., disse que havia diversas iniciativas em linha de pastoralidade na Universidade, de promoção ao cuidado das pessoas, por parte de grupos distintos. Ele enfatizou que esta união entre os setores participantes do Consórcio contribuirá para que estas atividades tenham maior impacto.

— Se as fizermos de modo separado, elas atingirão um certo objetivo, alcançarão uma meta. Porém, se juntos caminhamos, se realizamos essas atividades, elas se tornam muito mais potentes. Precisamos entender que dialogamos, que temos  o mesmo objetivo, trabalhamos com a mesma linguagem, e isto é mais do que razão suficiente para estarmos juntos ao unir forças e racionalizarmos. É uma espécie de uma distribuição melhor de energias para que não andemos cada um sozinho, mas juntos numa mesma direção.

Coordenador da Pastoral Universitária Anchieta, Padre Paulo Veríssimo, S.J. (Foto: Luanna Lino)

A relação entre o Consórcio de Iniciativas Pastorais e a Pastoral Universitária Anchieta é estabelecida com o desenvolvimento de atividades feitas em conjunto, a parceria entre instâncias. Segundo o religioso, a organização pretende intensificar o trabalho já existente com outros setores, como a colaboração com o Centro Loyola de Fé e Cultura.

— A Pastoral tem um planejamento de atuação junto aos estudantes, mas nutrimos a dimensão espiritual, o eixo fé e espiritualidade aqui na Igreja com as celebrações das missas diariamente e o atendimento às pessoas espiritualmente e em confissões sacramentais. Temos também, por exemplo, parceria com o Centro Loyola, com o Illuminatio, com a celebração da luz. Esse lugar de articulação e parceria marca o fato de termos atividades tanto orientadas em comum como objetivo quanto planejadas e realizadas em comum.

Organização administrativa

O supervisor administrativo da PUC-Rio, Irmão Brune Gonçalves, S.J, exerce a mesma função no Consórcio. O jesuíta reforçou a ideia da colaboração de forças entre a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, a Pastoral Universitária Anchieta, o Centro Loyola de Fé e Cultura, e Identidade e Missão. Ele afirmou que serão incluídas por meio deste projeto as atividades pastorais, administrativas e econômicas, de modo que obtenham êxito.

Supervisor administrativo da PUC-Rio, Irmão Brune Gonçalves, S.J. (Foto: Luanna Lino)

— Com isso, trazemos mais benefício e empenho de todos os colaboradores. Todos os integrantes da Pastoral, da Igreja e do Centro Loyola reforçarão essa nova gestão do consórcio, ou seja, o trabalho de parceria. Essa criação é de extrema importância, pois agimos de modo parecido: a Igreja com atividades de evangelização, o Centro Loyola com o trabalho de fé e cultura e a Pastoral, que tem o papel de auxiliar e trabalhar com os estudantes da Universidade.

Assessor de Planejamento da PUC-Rio e professor do Departamento de Engenharia Industrial, Luiz Torres auxiliou na elaboração do Consórcio. Ele ressaltou que a proposta é simbólica para a Universidade, e permite trabalhar o ponto de busca pela eficiência, de canalização do projeto.

Assessor de Planejamento da PUC-Rio, professor Luiz Torres (Foto: Luanna Lino)

— O objetivo, além da questão de ação pastoral, de união dessas unidades, é de trazer a proposta de organização administrativa e de maior eficiência e eficácia das atividades e das próprias instituições presentes no Consórcio. A busca pela integração e otimização é um símbolo para a Universidade. Toda essa estrutura administrativa procura obter maior eficiência ao atender todas as instâncias envolvidas.

Mais Recentes
Imortal ‘Divina Cleo’
Integrante da ABL, Cleonice Berardinelli era uma especialista da obra do poeta português Fernando Pessoa
Laboratório de fabricar esperança
Projeto social capacitou 22 jovens de comunidades no curso técnico de Design das Mídias
Magia do Natal em sala de aula
Inspirada na comemoração do nascimento de Cristo, estudante de Letras cria poema como avaliação de G2