Marc Ouellet fala sobre fé e missão em Aula Inaugural
20/03/2024 15:48
Carolina Bottino

Cardeal ministrou encontro sobre a Teologia Fundamental do Sacerdócio

O Cardeal Marc Ouellet encerrou visita ao Brasil em encontro na Universidade. Foto: Matheus Santos

No dia 15 de março, o Cardeal canadense Marc Ouellet presidiu a Aula Inaugural de Teologia da PUC-Rio e concluiu a jornada de encontros que teve início na Arquidiocese paulista e passou por cidades como Belo Horizonte e Brasília. O religioso, que é Prefeito emérito do Dicastério para os Bispos e presidente emérito da Pontifícia Comissão para a América Latina, veio à  Universidade  para ministrar um encontro sobre a Teologia Fundamental do Sacerdócio. Ele esteve no Brasil pela primeira vez em 2013, durante a Jornada Mundial da Juventude, uma experiência  “extraordinária, um grande momento em minha vida”, disse.

A conferência, que ocorreu na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, contou com a participação de Dom Orani Tempesta, Arcebispo do Rio de Janeiro e Grão-Chanceler da PUC-Rio, do Reitor da Instituição, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J., e do Padre Waldecir Gonzaga, diretor do Departamento de Teologia e da Faculdade Eclesiástica.

A palestra foi dividida em três partes. A primeira abordou a Teologia Fundamental do Sacerdócio, feita pelo Cardeal canadense; a segunda foi sobre a questão do Sacerdócio e a missionariedade, proferida pelo Padre Vitor Feller, professor do Instituto Teológico de Santa Catarina (ITESC) e vigário-geral da Arquidiocese de Florianópolis (SC); e a última parte da aula promoveu o lançamento dos dois volumes da obra escrita pelo sacerdote, que tem  o mesmo título do encontro no Rio.

O Reitor da PUC-Rio, Padre Anderson Antonio Pedroso, S.J e Dom Orani em Aula Inaugural de Teologia. Foto: Matheus Santos

Dom Orani avaliou a importância dos temas abordados na conferência para os tempos sinodais.

– O Cardeal Marc Ouellet tem a audácia de voltar às raízes mais profundas do sacerdócio quando aponta seu fundamento, que é primordialmente doação de si mesmo. Uma contribuição que tem seu modelo e origem no comprometimento mútuo das pessoas trinitárias, realiza-se na Igreja e nos chama a participar desta comunhão de amor – refletiu o Arcebispo do Rio de Janeiro.

Durante o encontro, também chamado de Simpósio Teológico Internacional, o Cardeal discursou sobre as perspectivas da missão sacerdotal dos fieis leigos. Para ele, adorar a Deus em espírito e em verdade é consagrar o mundo a Deus, difundir e infundir o espírito do evangelho nas estruturas, instituições e empresas por meio do testemunho de fé, esperança e caridade. 

– Eu senti uma boa recepção e entusiasmo, mas o que me interessa é animar as vocações batismais, não apenas as sacerdotais. A Universidade é um lugar onde a juventude sonha o futuro. O Papa Francisco nos diz que devemos fazer isso de um jeito positivo, não nos esquecendo de onde viemos. A fé católica do povo brasileiro é fundamental, parte da sua identidade. – afirmou o sacerdote sobre sua experiência no Brasil.

Na segunda parte da Aula Inaugural, o Padre Vitor Feller, vigário-geral da Arquidiocese de Florianópolis, palestrou sobre a missionariedade do sacerdócio cristão. Sobre esse aspecto, refletiu sua relação com a divina trindade, as missões de pastor, semeador e pescador, as missionariedades do sacerdócio comum dos fiéis, de Cristo, e a do sacerdócio ministerial ordenado.

Em livro Cardeal Marc Ouellet aborda as raízes e fundamentos do sacerdócio. Foto: Matheus Santos

Ao final do simpósio, uma missa foi presidida pelo Cardeal Marc Ouellet na Igreja do Sagrado Coração de Jesus, que contou com a presença de outros representantes da comunidade católica, como bispos, seminaristas e fiéis leigos.

Mais Recentes
Os vários papéis da polícia no Mundo Atlântico
Encontros da História da PUC-Rio reuniram palestrantes da Itália, México e Brasil
Alunos terão desconto em moradia universitária
PUC-Rio fechou parceria com Uliving, maior rede deste tipo de serviço no país
Luz, câmera, renovação
Estúdios de gravação de televisão e rádio reabrem após reforma