Homenagem a Silviano Santiago
10/10/2017 12:23
Lucas Frana

Vida e obra do escritor foram relembrados em encontro na Universidade

O escritor Silviano Santiago foi homenageado durante encontro organizado pelo Departamento de Letras e pelo Decanato do Centro de Teologia e Cincias Humanas (CTCH) nesta segunda-feira, 9, no Auditrio Padre Jos de Anchieta. Ao longo do dia, mesas de debate discutiram a vida e as obras escritas pelo romancista. Professor mineiro de 81 anos, Santiago recebeu diversos prmios literrios, entre eles o Jabuti e o Prmio Machado de Assis. Erradicado nos Estados Unidos, Silviano deu aula em Universidades americanas at 1969. A partir dos anos 1970, ele veio para a PUC-Rio.

A abertura do encontro ocorreu pela manh, com o Decano do CTCH, professor Jlio Diniz, e o diretor do Departamento de Letras, professor Alexandre Mountaury. Eles relembraram os anos em que Santiago ensinou na Universidade. Para Alexandre Mountaury, a homenagem tambm um registro do valor dos textos do escritor.

— Silviano foi presente nos projetos de pesquisa e nas reas de ensino e extenso. Seus textos descortinaram modos de olhar e tm oferecido permanente sustentao terica para muitas atividades desenvolvidas por ns.

Diretor do Departamento de Letras, Alexandre Mountaury enalteceu Silviano Santiago e falou sobre a importncia do autor para a PUC-Rio Foto: Isabella Lacerda

Segundo Jlio Diniz, Silviano Santiago foi umas das pessoas que ajudou na fundao e no crescimento dos programas de ps-graduao do CTCH. O professor mineiro lido no s em Letras, mas em Filosofia, Cincias Sociais, Histria e as Artes em geral, como disse Diniz. O Decano destacou ainda que, acima de romancista e poeta, Silviano era um provocador.

— Santiago no pensou s a vida cultural brasileira, mas a poltica tambm. Ele trouxe questionamentos, interrogaes e um olhar cosmopolita das nossas relaes, tanto aqui quanto na Universidade Federal Fluminense.

Cultura e poltica brasileira na obra de Santiago foram temas abordados na fala do Decano Jlio Diniz Foto: Isabella Lacerda

A primeira mesa de debate abordou as obras literrias e as caractersticas dos textos de Silviano. Ela foi composta pela professora Eneida Maria de Souza, da Universidade Federal de Minas Gerais, pelos professores do Departamento de Letras da PUC-Rio Frederico Coelho e Renato Cordeiro Gomes, e com mediao do professor Miguel Jost, tambm do Departamento de Letras.

Eneida Maria, que foi orientada por Santiago quando fez mestrado na PUC-Rio, em 1972, comentou sobre a riqueza de detalhes existente na escrita do romancista. Ela analisou o romance Machado, de 2016, uma obra biogrfica de dez captulos que explora os ltimos anos de Machado de Assis. Para ela, o texto de Silviano fluido e acessvel para todo tipo de leitor, seja ele crtico literrio, historiador ou leitor comum.

- O narrador do livro articula vida e obra de Machado com muitos detalhes, visita lugares comuns do escritor brasileiro e expem imagens do universo do protagonista, como reprodues jornalsticas, anncios e receiturios de homeopatia. A Rio de Janeiro tambm descrito no livro, com a arquitetura e o embate poltico entre Monarquia, Repblica e abolio dos escravos.

Miguel Jost (PUC-Rio), Eneida Maria (UFMG), Frederico Coelho (PUC-Rio) e Renato Cordeiro (PUC-Rio) participaram da mesa de debate sobre as obras de Silviano Santiago Foto: Isabella Lacerda

Outras obras analisadas na mesa foram o livro de poemas Saltos (1970), a coletnea de contos O Banquete (1970) e Stella Manhattan, romance originalmente publicado em 1985, mas reeditado neste ano pela Companhia de Letras. O livro considerado o primeiro a mostrar o universo trans em uma histria de fico. O professor Frederico Gomes exps caractersticas de cada texto. Ele comentou sobre o perodo de estadia de Silviano nos EUA, que inspirou a escrita de Stella Manhattan, e a atualidade do livro para as discusses polticas, sociais e culturais no Brasil.

— Em dias cuja ideia pblica sobre os corpos e a arte regride para o controle e demonizao, Silviano pode novamente apresentar uma obra e vida que saltam sobre o abismo Brasil.

Para o professor Renato Cordeiro, Silviano estabelece relaes entre os textos dele, a vida acadmica e outros autores, “uma espcie de hipertexto”, conforme nomeou Cordeiro. Ele analisou a obra O Cosmopolitismo do Pobre, de 2004, que aborda temas como a identidade do brasileiro, a relao com a cultura e como Santiago entende a maneira que o cidado se porta na sociedade, ideia central do conceito de cosmopolitismo. O professor disse que possvel identificar nos textos de Santiago os assuntos que o movem e que o escritor nos ensina a aproveitarmos a literatura completamente

— Antes do cosmopolitismo ser um tema, ele representa uma atitude que condicionava a formao de Silviano desde o tempo de jovem em Minas Gerais. Silviano nos passa o mtodo de que a tradio da literatura ocidental feita para que a usssemos da maneira que quisermos.

Mais Recentes
Rotina que concilia treinos e oramentos
O gerente de oramento e projetos da PUC-Rio, Antonio Ferreira de Oliveira, se divide entre o ciclismo e a Universidade
A arte do prespio
Em palestra do projeto Natividades Arte e Cultura, padre Jos Maria Fernandes relembra as origens dessa arte
Filipe Duarte Santos ministra aula na PUC
O professor portugus Filipe Duarte Santos, da Universidade de Lisboa, proferiu uma aula na PUC-Rio