Melhoria na educação para mudar o mundo
19/10/2017 14:00
Lethicia Amâncio

Criador do Moodle, Martín Dougiamas aborda a importância do investimento em tecnologia para dar suporte melhor aos educadores  

Martin Dougiamas participa dos dois dias de conferência. Foto: Fernanda Maia

“Empowering Educators” (Empoderando Educadores, em português). A frase escrita na camisa do criador do Moodle, Martín Dougiamas, resume o objetivo dos projetos que ele desenvolve nas áreas de tecnologia e educação. Ele ministrou uma palestras na manhã de quarta-feira, 18, na conferência MoodleMoot Brasil, que ocorre no auditório do RDC. Dougiamas também é CEO da plataforma utilizada por professores da PUC-Rio e por instituições de 232 países. No encontro, ele afirmou ter uma preocupação social com a educação e apresentou planos e projetos futuros do Moodle.

Segundo Martin Dougiamas, questões sociais, como a crise dos refugiados em diversos países, os altos índices de mortalidade infantil e a discrepância  econômica entre ricos e pobres, podem ser resolvidos com a melhoria na qualidade de educação. Ele questionou se o governo poderia ser a solução para o problema, já que ainda há questões burocráticas, nas quais os professores devem produzir inúmeros relatórios e perdem um tempo que poderia ser dado aos alunos. Para ele, a má qualidade da educação pública é resultado da falta de investimento.

O australiano afirmou que os smartfones e as ferramentes de tecnologia  são extensões da capacidade cognitiva humana. Ele criticou as empresas do Sillicon Valey, que lucram ao capturar e vender a atenção dos usuários, porém não fazem esforço para envolvê-los na questão educacional.

Com o lema “suportar, nutrir e melhorar”, o criador da plataforma acredita que, para resolver problemas da educação, deve-se “consertar os defeitos do sistema”, com o fornecimento de suporte aos educadores e abertura às oportunidades de aprendizado e ensino livres. A missão da plataforma, para Dougiamas, é empoderar educadores para melhorar o mundo, com inovação, respeito e integração.

O Moodle tem, atualmente, 84 mil registrados pelo mundo, sendo a Índia o país que mais cresce no uso da plataforma. O Brasil está em terceiro lugar no ranking mundial, com mais de 5 mil usuários, e perde apenas para os Estados Unidos e Espanha.

– O uso do moodle no Brasil é bem forte. As pessoas sempre me dizem que aproximadamete 90% das Universidades e escolas o utilizam, e isso é muito. Eu costumo vir bastante ao Brasil,  venho mais aqui do que em outros países, porque eu acredito que seja importante, e sinto que temos muito o que conversar e fazer aqui.

O palestrante também abordou as dificuldades que a plataforma enfrenta e que, para ele, são resultado da falta de apoio e proximidade dos professores com o Moodle. Entre elas, a mistificação de que as ferramentas são complexas e difíceis de utilizar, e a não condução de todos os recursos disponíves na plataforma pelos professores.

A conferência contou com a presença de professores, pesquisadores e profissionais de diferentes áreas. Foto: Fernanda Maia

Dougiamas também apresentou os cinco grandes planos e projetos do Moodle. A atualização do Moodle 3.4, que será lançada em novembro; o Moodle Net, que ajuda o professor a conectar-se com outros profissionais, como uma mídia social, para o compartilhamento de conteúdo e recursos educacionais. Foi apresentado, também, o Moodle Cloud, no qual o usuário pode hospedar sites de apendizado; o Learn Moodle, que dá suporte e instrução ao eduacador para o ensino a distância, e o Moodle Partner, que são os parceiros do Moodle responsáveis pela consultoria, design, e suporte da plataforma.

Para a coordenadora Central de Graduação, professora Daniela Vargas, o Moodle contribui para a continuidade da educação, mesmo após o aluno se formar, e até mesmo no ambiente de trabalho. Ela acredita que a conferência ajuda na divulgação da plataforma entre os professores da PUC.

A coordenadora da Central (CCEAD), professora Gilda Campos, afirmou que a maior contribuição da plataforma é a inovação. Ela explica que um dos desafios atuais dos educadores é de como trazer a modernidade para dentro da sala de aula. Para a professora, a conferência na PUC propicia um momento de troca e reflexão tanto para professores e pesquisadores como para os alunos.

­­­

– Essa plataforma contribui para trazer o aluno para a realidade do século 21, não só utilizando essa novas ferramentas, mas também aprendendo a pensar, raciocinar, utilizando as tecnologias que fazem parte da cognição humana, tanto professor, quanto aluno, devem aprender a como utilizar essa ferramentas para um melhor aprendizado.

As professoras Daniela Vargas e Gilda Campos participaram de uma mesa na conferência MoodleMoot Brasil. Foto: Fernanda Maia

A conferência MoodleMoot é realizada no Brasil desde 2007, porém esta é a primeira vez que ocorre no Rio de Janeiro. O encontro conta com a presença de professores, pesquisadores e profissionais de diversas áreas que buscam aprender e melhorar os conhecimentos sobre a plataforma, que permite integração on-line entre usuários.

Mais Recentes
30 anos de integração, aprendizagem e serviço
Alunos, professores, funcionários e ex-estagiários se reuniram para celebrar as três décadas do Projeto Comunicar
Espaço para unir técnica e valores
Escola Médica de Pós-Graduação inaugura nova unidade na Casa de Medicina na Gávea. O Lugar é destinado para cursos, pesquisas e consultas a preço acessível
Inovações do Design e a integração com o público
Semana de Design da PUC-Rio exibe projetos de alunos e promove reflexão de visitantes