Rotina que concilia treinos e orçamentos
14/12/2017 17:07
Marcelo Antonio Ferreira

O gerente de orçamento e projetos da PUC-Rio, Antonio Ferreira de Oliveira, se divide entre o ciclismo e a Universidade

O gerente de orçamento e projetos da PUC-Rio, Antonio Ferreira de Oliveira se divide entre o RH e treinos Foto: Matheus Aguiar

Quando tinha 40 anos, o gerente de orçamento e projetos da PUC-Rio, Antonio Ferreira de Oliveira, buscou uma alternativa de esporte que não causasse impacto ao joelho, pois tinha sofrido uma lesão. O conselho do médico foi o ciclismo e, aos 45 anos, Oliveira começou a competir. Hoje, aos 62 anos, é um atleta profissional, categoria máster, patrocinado pela PUC. E a meta, garante, é sempre estar no pódio. Neste ano, ele ficou em 1º lugar em duas competições e conquistou prêmios em todos os 12 torneios em que competiu em 2017.

Oliveira divide o dia entre a sala, na Gerência de Recursos Humanos da Universidade, e os treinos. Apesar de ter começado mais tarde no ciclismo, ele afirma que desde a juventude é um aficionado por esportes.

- Todo mundo fala que se eu tivesse começado cedo no ciclismo, poderia até estar correndo lá fora. Eu dei sorte, pois já tinha todo o preparo de atleta. Hoje, com 62 anos, pedalo mais forte do que quando tinha 40, 45. Mas, para o esporte em si, é melhor começar novo. Em compensação, estou correndo com pessoas que começaram cedo, e consigo acompanhar. Meu técnico diz que posso até melhorar.

Toda rotina de Oliveira é estruturada para conciliar os treinos e a carga horária na PUC. Ele destaca que morar próximo à Universidade é algo essencial para que essa divisão de horas seja possível.

- Eu moro em frente ao trabalho, e isso ajuda muito. Treino das 5h às 7h, vou para casa, faço uma recuperação, durmo um pouco, e venho trabalhar, sem chegar atrasado.

O esquema de treinos é intenso. Nas quartas e sextas, o ciclista pratica na orla do Leblon e de Ipanema com o técnico, é o ciclismo de estrada. Nas terças e quintas, o treinamento é de montanha, na Vista Chinesa, das 6h às 8h. E, aos sábados e domingos, Oliveira faz um treinamento mais de volume, cerca de três a quatro horas. Ele só descansa na segunda.

Oliveira carrega diversos prêmios conquistados nesses anos

O gerente de orçamento e projetos observa que, para o bom desempenho esportivo, rigor e disciplina são importantes. Uma boa alimentação, treinos regrados e a recuperação física são, segundo ele, os pontos principais.  

- Em casa, faço aquela alimentação diferenciada que a nutricionista passa. Tem que ter dedicação, e eu, que sou atleta desde pequeno, já tenho essa rotina. Hoje em dia, não me queixo muito, mas, quando jovem, era mais difícil não poder comer doces, beber.

Parar de pedalar não está nos planos do ciclista. De acordo com ele, o ciclismo faz parte do cotidiano dele até fora das competições.

- Eu dou ênfase a qualquer corrida. Não escolho só para pontuar ou ir para ranking. Se tiver uma corrida, e for dentro do meu espaço, estou sempre correndo, apesar do ciclismo não ser tão forte no Brasil.

Mais Recentes
Assembleia Universitária
Em sessão de final de ano, o Reitor da PUC-Rio, padre Josafá Carlos de Siqueira, S.J, apresentou o balanço da Universidade e das atividades acadêmicas realizadas em 2017
Novas oportunidades na representação estudantil
Os representantes eleitos para os Centros Acadêmicos e para o DCE Raul Amaro tomaram posse nessa terça-feira, 20.